Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Uma corrida muito atípica na Moita

O termo atípico não será muito taurino, mas ajusta-se ao que aconteceu no segundo dia da Feira da Moita. João Moura, desinspirado no primeiro (apenas investia) teve actuação de muito brilho no quarto e uma série de curtos de emoção.
14 de Setembro de 2006 às 00:00
Uma lide de nota alta! António Ferrera partilhou o 2.º tércio com Procuna e ambos mereceram aplausos. A grande faena do pacense aconteceu no toiro ‘sobrero’, obrigando o espanhol a dominá-lo com três poderosos lances de capa e três pares de bandarilhas, que puseram emoção e ‘toparia’ numa corrida em que justificou a saída em ombros.
Procuna, bem nas bandarilhas, esteve bem no 3.º e teve volta à arena. Na lide do outro ‘sobrero’ (dois toiros ficaram inúteis ao rematar no burladero), não foi possível bandarilhar com arte. Uma corrida muito atípica, na qual os Amadores da Moita voltaram a mostrar não estar em forma apurada.
MOITA (PRÇ. DANIEL DO NASCIMENTO)
DATA: 12 de Setembro 2006
EVENTO: Corrida Mista
ASSISTÊNCIA: 2400 pessoas
DIRECTOR: Pedro Reinhart
CARTEL: Cav. J. Moura; mat. Ant. Ferrera e L. Procuna; Forc. Amad. Moita; Gan. J. Moura e Herd. Pégoras
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)