Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Uma noite de três maestros

Formidável a corrida de toiros, a segunda da Feira de Maio, realizada anteontem no Campo Pequeno, em Lisboa, que ficou manchada pela grave colhida sofrida pelo bandarilheiro Mariano de la Viña, operado de urgência no Hospital de St.ª Maria.
6 de Maio de 2007 às 00:00
As colhidas de Mariano de La Viña
As colhidas de Mariano de La Viña FOTO: D.R.
Desiguais em tipo e jogo, houve qualidade nos seis toiros de Varela Crujo, excepto os 5.º (manseou e violento) e o 6.º (manso com perigo).
Enrique Ponce bordou toureio. Excelente no seu bom 1.º, lentidão e perfume, entusiasmado. No 4.º, inventou faena a um parado mansote, mas nobre. Os voos da muleta, técnica insuperável, um querer de figura honrada, provocaram o delírio. E, no final, sairia, com toda a justiça, em ombros pela Porta Grande! Que noite, para recordar, a de Ponce!
José Luís Gonçalves conseguiu subir o tom no 2.º da noite para admiração de muitos e delírio dos aficcionados! Também ele bordou toureio! De capote e de muleta. Uma faena de sonho, templada, lenta, estética, plástica, mandona e suave! Como se pode tourear assim, actuando tão poucas vezes, era o que perguntavam os espanhóis profissionais!? No seu 2.º, arrimou-se, esteve digno, mas ao toiro parado e brusco, não sobravam passes. Grande ovação no final, despedido em apoteose!
‘El Juli’ não teve fortuna com o seu lote. O seu 1.º era tardo e ‘metia-se’ para dentro; querer e poder, de técnica e ofício, conseguiram êxito forte. O público soube valorizar exigindo volta à arena. No último da noite, sentiu-se que era toiro sem três passes, dos tais que trazem nas pontas o sinal do hospital... ‘El Juli’ entregou-se na mesma, mas abreviou, obviamente. Saiu por entre enorme ovação!
Os toiros estavam mais em pontas do que em Portugal seria de prever. Mariano de la Viña (de Ponce) sofreu cornada grave e, entre outros sustos, Alejandro Escobar (de ‘El Juli’) foi ferido na mão.
Uma corrida intensa, de classe superior, capaz de acordar consciências! Um passo enorme para uma nova história do Campo Pequeno, escrita em página de ouro por três maestros do toureio!
DE LA VIÑA EM RECUPERAÇÃO
Colhido ao bandarilhar o primeiro toiro da noite, Mariano de La Viña foi assistido na enfermaria da praça antes de ser transferido para o Hospital de St.ª Maria, onde foi submetido a intervenção cirúrgica. De acordo com a empresa que explora a Monumental lisboeta, o bandarilheiro sofreu uma cornada que lhe provocou “uma ferida de 22 centímetros de profundidade, no terço inferior interno da coxa esquerda, com duas trajectórias com lesão da veia safena interna, estiramento nervoso, com lesão superficial e muscular do vaso interno”. Ontem, Rui Bento Vasques, director artístico do Campo Pequeno, avançou ao CM que Mariano de La Viña “está a recuperar bem” pelo que, em princípio, “ainda hoje será transferido para a sua terra, Albacete”. Já Escobar, “foi cosido no indicador e no polegar, seguindo logo para Espanha”.
PRAÇA DO CAMPO PEQUENO
DATA: 04 de Maio 2007
EVENTO: Corrida de toiros
ASSISTÊNCIA: 4000 pessoas
DIRECTOR: Nuno Néry
CARTEL: E. Ponce, J.L. Gonçalves e ‘El Juli’ (gan. V. Crujo)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)