Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Viegas nomeia ex-secretário de Estado de Canavilhas

O ex-secretário de Estado da Cultura Elísio Summavielle dirige a partir desta quarta-feira a nova Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), organismo criado no âmbito da nova orgânica da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) que deverá iniciar funções, oficialmente, a 1 de Março. O actual titular da pasta, Francisco José Viegas, recupera assim o seu antecessor no anterior executivo, quando Gabriela Canavilhas era ministra da Cultura.
14 de Fevereiro de 2012 às 16:41
Elísio Summavielle foi o secretário de Estado da Cultura quando Gabriela Canavilhas era ministra
Elísio Summavielle foi o secretário de Estado da Cultura quando Gabriela Canavilhas era ministra FOTO: João Miguel Rodrigues

"A sorte é sempre um elemento importante nestes processos", disse ao CM Elísio Summavielle, em reacção à nomeação, conhecida esta terça-feira. "É uma responsabilidade acrescida mas é um desafio que encaro com tranquilidade", frisou, lembrando 30 anos de percurso na área do património cultural, 20 dos quais como dirigente.

"Até à entrada em vigor do diploma legal que aprova a orgânica da Direcção-Geral do Património Cultural, Elísio Summavielle assegurará os cargos de director do IGESPAR [Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico] e do IMC [Instituto dos Museus e da Conservação], tendo cessado funções os directores em regime de substituição nos referidos institutos, Luís Capaz Coelho e João Brigola", lê-se em nota oficial da SEC.

O novo director, para já, concentra-se "na burocracia que envolve o processo de fusão das entidades" e garante que, para já, "não está prevista a redução de recursos humanos", apesar da concentração de organismos.

"A fusão é uma reforma que sempre defendi", recorda ainda Summavielle, um socialista que considera que a sua nomeação terá por base "as capacidades curriculares e técnicas" desempenhadas ao longo da carreira. "Pela minha experiência, terei o perfil de clínica geral", brincou ainda o novo dirigente da DGPC.

"Apesar das circunstâncias actuais que o País atravessa, estou muito entusiasmado com esta fusão. O património cultural estava fragmentado e hoje voltamos a uni-lo", frisa.

A estrutura dirigente incluirá ainda três subdirectores, segundo Summavielle, que ainda não são conhecidos. A reforma implicará uma reorganização de estruturas - "unir os sectores patrimoniais e dar mais autonomia às direcções regionais de Cultura" -, que englobam mais de mil funcionários e "a articulação é a chave" de um trabalho que o novo director espera levar a bom termo.


Ainda esta terça-feira, a SEC nomeou um outro socialista, Henrique Parente, como director-geral do novo Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais, cargo até agora exercido pela ex-jornalista Joana Gomes Cardoso, filha da eurodeputada Ana Gomes.

Parente foi antigo controlador financeiro do extinto Ministério da Cultura e, durante o Governo de José Sócrates, adjunto do então secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)