Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

VILAR DE MOUROS REGRESSA

O mais histórico dos festivais portugueses, Vilar de Mouros, apresenta este ano um cartaz que juntará, à beira do rio Coura, reggae, música de dança, metal, mas também maquilhagem e “cannabis”. Embora o rock só chegue amanhã, o evento inicia-se hoje com a recepção ao campista e música de dança no Palco Stout a cargo do DJ Kitten.
17 de Julho de 2003 às 00:00
A edição deste ano do festival marca a estreia de Vilar de Mouros em livro, com uma história dos concertos desde os anos 60 feita pelo jornalista e professor Fernando Zamith. Depois de ter sido lançado no passado dia 11, “35 anos de festivais” será apresentado hoje na Câmara Municipal de Caminha.
ROCK CHEGA AMANHÃ
Assíduos das salas portuguesas, os alemães Guano Apes fecham o primeiro dia de concertos rock (amanhã), poucos meses depois de terem editado o seu último disco, “Walking on Thin Line”. Antes deles, o palco principal recebe os brasileiros “pró-cannabis” Planet Hemp e os sons pesados dos também brasileiros Sepultura. Da Finlândia regressa o rock maquilhado dos neogóticos HIM.
No palco Quinta dos Portugueses, actuam Tendrills e More Than a Thousand.
Para sábado, a organização escolheu David Fonseca para encerrar a noite, apresentando temas do seu primeiro álbum a solo, “Sing Me Something New”. O resto do cartaz é preenchido pelo brasileiro Lenine, pelos espanhóis Los Planetas, pelo “cantautor” canadiano Rufus Wainwright e pela banda portuguesa mais próxima de Marte, os Blasted Mechanism, a apresentar o novo disco “Namaste”. No palco secundário actuarão Kamikazes, Grace e Toranja.
O último dia do festival (domingo) começa no palco Quinta dos Portugueses, com Iro-nic Speech, Philarmonic Weed e LF Cool.
A noite no palco principal inicia-se com o peso das actuações dos Melvins, seguindo-se Tomahawk, banda que integra o baixista dos Melvins e o ex-vocalista dos Faith No More, Mike Patton. Seguem-se os acompanhantes do falecido Bob Marley, The Wailers, e Tricky, que regressou aos discos este ano com “Vulnerable”.
O último concerto está a cargo dos Public Enemy, pioneiros do rap nos anos 80, que se estreiam em Portugal depois de terem editado “Revolverlution” em 2002.
Todas as noites, a partir de hoje, há música pela noite dentro no Palco Stout, com DJ Kitten (esta noite), Trash Palace e Big Louie G (amanhã), Mad Professor e Dubadelic Vibrations (sábado), e Zion Train, no domingo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)