Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

A 'CHAMPIONS' É JÁ ALI...

O Benfica voltou a ser convincente e somou ontem em Braga a quinta vitória consecutiva, a melhor série desta temporada, aumentando para onze pontos a vantagem sobre o Sporting e ficando a apenas uma vitória de garantir o segundo lugar e o regresso às competições europeias.
27 de Abril de 2003 às 00:00
No próximo sábado, a questão pode ficar arrumada no ‘derby’ do Jamor, jogo em que Camacho não poderá contar com Argel que completou ontem uma série de cinco amarelos. O Benfica de Camacho continua sem perder fora de casa e, em 17 jogos, somou 13 triunfos, três empates e apenas uma derrota, frente ao FC Porto.
O Braga fez um bom jogo na estreia de Jesualdo Ferreira, mas foi impotente para travar o maior poderio ‘encarnado’. E ainda não está livre da descida.
O técnico do Benfica preferiu Andrade, em vez de João Manuel Pinto, no lugar do castigado Petit, enquanto Jesualdo apostou em Pedro Costa para lateral-direito, um jovem da equipa B que fez uma boa estreia.
Num estádio 1. º de Maio bem composto e com falanges de apoio repartidas, a primeira parte foi agradável, aberta e jogada em toada de parada e resposta. O Benfica chega a esta altura da época respirando saúde e cedo mostrou ao que vinha. Estavam decorridos seis minutos quando Geovanni beneficiou de um ressalto, após a marcação de um canto, e chutou forte de fora da área, inaugurando o marcador.
O Braga, jogando solto e com mobilidade, reagiu de pronto e, aos 9’, chegou ao empate. Ricardo Rocha fez falta para grande penalidade (tão indiscutível quanto desnecessária) sobre Wender e Barroso não desperdiçou o castigo máximo. Aos 21’, o Braga esteve mesmo perto de dar a ‘cambalhota’ no marcador, não fosse Nuno Rocha falhar o golo com a baliza à sua mercê. O Benfica continuou a jogar o seu futebol de ataque, assente na classe de Tiago, Zahovic (está em grande forma), Simão, Geovanni e Nuno Gomes, e acabou por ser feliz na forma como chegou ao 2-1. O golo nasceu mais uma vez de um lance de bola parada, numa jogada já várias vezes ensaiada esta época, com Zahovic a surgir solto e a beneficiar de uma tentativa de corte de Tito para marcar. Até ao intervalo viram-se vários lances de perigo nas duas balizas, sim porque o Braga nunca se deu por vencido, com destaque para um tiro de Lima para grande defesa de Moreira.
O segundo tempo foi menos bem jogado mas mais intenso. O Braga ameaçou bastante no início e podia ter empatado por intermédio de Paulo Jorge (50’), mas o cabeceamento saiu por cima. Mas o Benfica voltou a controlar e, aos 63’, Nuno Gomes ‘matou’ o jogo, com um ‘tiro’ de fora da área, após lance perfeito com Zahovic e Tiago. Até final só deu Benfica.
CAMACHO: TIVÉMOS MAIS QUALIDADE E VENCEMOS
O treinador do Benfica, Camacho, reconheceu no final do encontro que foi um encontro difícil, mas e que o Benfica só venceu porque foi melhor. “Foi um jogo de muito trabalho por parte das duas equipas. Se não trabalhássemos muito, como fizemos, certamente que perderíamos este jogo. O Benfica teve mais qualidade e ganhou”, afirmou o técnico espanhol, satisfeito com a atitude dos seus jogadores.
O próximo jogo é frente ao Sporting, no Estádio do Jamor, e pode servir para os ‘encarnados’ garantirem definitivamente o segundo lugar e a presença na pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Camacho diz apenas que o Benfica vai “entrar em campo para vencer. Agora temos muitas possibilidades de chegar à Liga dos Campeões”.
Do lado do Braga, Jesualdo Ferreira, apesar da derrota, enalteceu a postura dos seus jogadores.
“Tivemos uma atitude séria e profissional e fizemos uma boa primeira parte. No segundo tempo não conseguimos pressionar tanto o Benfica, que está uma equipa solta e muito confiante”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)