Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

A FÉ DE GUGA

Há três anos, o brasileiro Gustavo Kuerten surgia em Miami como número um mundial. Recuperado dos problemas físicos que o fizeram escorregar no ‘ranking’, tem agora um grande objectivo para cumprir até final do ano: entrar no ‘top-10’.
21 de Março de 2003 às 00:00
Actualmente na 15ª posição, o vencedor da ‘Masters Cup’ de Lisboa 2000 pode atingir essa meta muito mais cedo do que o previsto. Guga nunca escondeu ser um homem de fé e capaz de lutar de cabeça levantada contra as adversidades e em Miami voltou a mostrar uma personalidade muito forte ao considerar uma má ideia a possível criação de um circuito e de uma associação paralela ao actual sistema profissional do ténis masculino.

A sua inabalável fé também esteve presente quando solicitado a comentar o início da guerra: "Tudo aquilo que podemos fazer é rezar, esperar pelo melhor. Estamos nas mãos de pessoas mais importantes do que nós e resta-nos esperar para ver".

Com o início da guerra no Iraque, o ambiente é de expectativa. Este torneio, na Florida, é uma autêntica reunião de nações. Estão representados 44 países, através de cerca de 250 tenistas. O norte-americano Todd Martin, um dos veteranos do circuito, enalteceu a posição dos EUA, mas sublinhou: "Temos de compreender a gravidade da situação, mas há que demonstrar que o nosso mundo não pára por causa de um conflito".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)