A mesma festa na meia-maratona de Lisboa mesmo sem a ponte

Atletas africanos dominaram o pódio masculino e feminino.
Por Mário Figueiredo|12.03.18
  • partilhe
  • 2
  • +
Sem a ponte, mas com a mesma alegria. É assim que se pode definir a 28ª edição da Mini e Meia-maratona de Lisboa, que juntou 32 mil participantes, e foi dominada pelos atletas africanos, com os triunfos do queniano Erick Kiptanui (1:00.05) e da etíope Etagegne Woldu (1:11.27).

As condições climatéricas obrigaram a alterar o local da partida, do tabuleiro da ponte 25 de Abril para Sete Rios. Mas nem mesmo a falta do ex-líbris da prova retirou atletas. Quem participou chegou a questionar a decisão, quando apareceram alguns raios do sol, mas prevaleceu a segurança. A festa do atletismo popular manteve-se inalterável, tal como o nível competitivo. Não houve recorde do mundo, devido ao vento, mas registaram-se bons resultados. Os dez primeiros homens correram na casa dos 60’. O estreante Erick Kiptanui fez os 21.095 metros em 1:00.05, batendo o eritreu Yohanes Gebregergish (1:00.16) e o compatriota Munene Gachaga (1:00.17).

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!