Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

A prenda de Hilário

Três dias depois de se ter estreado numa partida oficial pelo Chelsea, o guarda-redes português Hilário realizou ontem o primeiro jogo a titular na ‘Premiership’. Em dia de aniversário – já conta 31 primaveras – o guardião recebeu assim uma rica prenda e depois acabou por revelar-se bastante importante na vitória do Chelsea sobre o Portsmouth (2-1). Com estes três pontos, os ‘blues’ lideram isolados a liga inglesa, embora o Manchester United jogue só hoje frente ao Liverpool, o grande jogo da jornada.
22 de Outubro de 2006 às 00:00
Num encontro com cinco portugueses de início (Hilário, Ricardo Carvalho e Paulo Ferreira para o Chelsea e Pedro Mendes e Manuel Fernandes do Portsmouth), foram os ‘pompey’ que entraram melhor e logo aos seis minutos criaram a primeira ocasião de golo, com Kanu a cabecear, sem oposição, ao lado da baliza defendida por Hilário. Dez minutos volvidos, Ricardo Carvalho perdeu a bola dentro da área e Benjani tinha tudo para inaugurar a contenda, mas a bola acabou por sair por cima da barra.
A equipa dirigida por Rednapp parecia querer mostrar o porquê de ser a sensação deste o início de temporada, mas o Chelsea com o desenrolar dos minutos começou a tomar conta do encontro. E aos 20 minutos começou o festival de David James, guarda-redes do Portsmouth: Rob-ben isolou-se mas o guardião evitou o golo; aos 27’ ‘roubou’ um golo quase feito a Shevchenko e a sete minutos do final da primeira parte foi a vez de Drogba perder o duelo para David James.
Durante o intervalo José Mourinho não realizou qualquer alteração na equipa e o Chelsea voltou para a segunda parte sedento de marcar. E os golos acabaram mesmo por aparecer: primeiro aos 55 minutos por Shevchenko (dez jogos depois do último golo) e dois minutos depois foi a vez de Ballack fazer o 2-0.
O jogo parecia decidido e até se adivinhavam mais golos dos ‘blues’, tantas eram as facilidades que a defesa dos ‘pompey’ concedia. No entanto, os comandados de José Mourinho começaram a tirar o pé do acelerador e o Portsmouth acabou por chegar aos 2-1 à passagem dos 69 minutos, isto já depois de Hilário (61’) ter realizado uma soberba defesa após a cobrança de um canto.
Até final o Portsmouth carregou, mas o resultado não se alterou, muito também por culpa de David James, o melhor jogador em campo. E no final do jogo recebeu os merecidos elogios por parte de José Mourinho: “Foi um jogo complicado ao início mas depois melhorámos muito. O resultado só não foi mais dilatado porque o David James esteve fantástico, salvando golo atrás de golo.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)