Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

A QUEDA DO CAMPEÃO E A MARCHA DE MOURINHO

Cinco jogos europeus sem uma única vitória. Mais uma actuação frouxa e deslavada. Assobios, nervos, algum azedume, muita trapalhice. Até uma indecorosa falta de ‘fair play’ o campeão europeu mostrou, num lance de Maniche e Postiga que enraiveceu toda a equipa do Paris SG. Depois da grandeza, a pequenez.
6 de Novembro de 2004 às 00:00
Rien ne va plus para este triste FC Porto, a caminho de se tornar o primeiro campeão europeu em título a não passar da 1.ª fase – e vamos ver se agarra a Taça UEFA. Já não há nem atenuantes para tanta mediocridade e até para o agora nervoso Víctor Fernández acabou o estado de graça – e para Pinto da Costa, o responsável pela sua contratação em substituição de Del Neri.
O que mais me impressiona na falência do campeão europeu é a facilidade com que, num par de meses, se esfumou todo o brilho e toda a energia daquela equipa magnífica que dominou a Europa de forma imperial nos últimos dois anos. Todos sabemos que há momentos e conquistas irrepetíveis mas, com os diabos!, o Porto não passou de gigante a anão (longe disso!) e até gastou uns largos milhões em jogadores de primeira linha – como se lembram, não faltou quem defendesse que esta equipa, mesmo amputada de Deco e Carvalho, era mais forte do que a da época passada. Não é. Falta aquilo que fazia realmente a diferença: o treinador.
E como uma desgraça nunca vem só, à ‘debacle’ do campeão europeu responde José Mourinho com uma carreira imaculada no Chelsea.
Doze pontos separam as duas equipas e, se dúvidas houvesse sobre quem ‘pesou’ mais no melhor ciclo da história do Porto – a liderança e a capacidade profissional de Mourinho?; ou a liderança de Pinto da Costa espaldada pela tão afamada organização do clube? – essas dúvidas estão definitivamente desfeitas.
Mourinho prova, semana após semana, que é um dos melhores treinadores do mundo (em frente, marche!: 15 jogos seguidos sem perder na ‘Champions’) e o facto de estar a construir em Londres um candidato credível ao título europeu já não pode surpreender ninguém.
Neste momento, o Chelsea está muito bem cotado na bolsa de valores da Liga dos Campeões. Falta ver se em Março, quando começarem as grandes decisões, a sagacidade de Mourinho e os argumentos da equipa londrina chegarão para abater adversários mais matreiros e experimentados – Juventus, Barcelona, Real Madrid, Milan, Arsenal e Manchester United.
Com o FC Porto a esvair-se, a Europa dos ‘portugueses’ não tardará a reduzir-se à Europa dos emigrantes. Passaremos a torcer por Mourinho, Carvalho, Ferreira e Tiago, Figo e Cristiano Ronaldo. Do Benfica já sabemos o que esperar quando o adversário é um bocadinho mais encorpado. Falta saber se o Sporting, em nitido crescendo de forma, não terá a mesma sorte quando lhe couber um rival de primeira linha. Para já, uma certeza: a final da Taça UEFA é no Alvalade XXI.
RAUL AMEAÇA RECORDE
O histórico recorde de Di Stefano na Taça dos Campeões (49 golos) está por um fio. O espanhol Raul fez um golo em Kiev e tem agora 48 (em 93 partidas), podendo igualar a marca do ídolo hispano-argentino frente ao Bayer Leverkusen.
Mas a grande proeza da ronda pertenceu a Van Nistelrooy, autor de um fabuloso ‘poker’ frente ao Sparta de Praga. O holandês soma 44 golos na Liga dos Campeões (em apenas 51 jogos) e prepara-se para destronar Eusébio (47) do pódio. A manter esta média, poderá bater antes de Raul o recorde absoluto em competições europeias - 70, na posse do alemão Gerd Muller.
Eis os dois ‘rankings’ actualizados: Total de golos - Gerd Muller (70 golos), Eusébio (57), Heynckes (51), Raul e Di Stefano (49), Santillana (47), Larsson (45), Nistelrooy (44), Shevchenko e Simonsen (43), Thierry Henry (41); Taça/Liga Campeões: Di Stefano (49 golos), Raul (48), Eusébio (47), Van Nistelrooy (44); Shevchenko (40), Gerd Muller e Puskas (36); Thierry Henry e Del Piero (33); Filippo Inzaghi (32).
LUÍS FIGO: 150 GOLOS
A classe é eterna. Luis Figo, acabado de fazer 32 anos, conduziu a reviravolta do Real Madrid em Kiev (0-2 para 2-2) e marcou, de penálti, o 150.º golo oficial da carreira (25.º em 115 jogos nas Eurotaças). É uma marca significativa construida ao serviço do Sporting (21 golos), Barcelona (45), Real (53) e Selecção Portuguesa (31) e que vai ser certamente arredondada nos próximos anos. Amanhã, Figo e o inconstante Real têm compromisso marcado em Málaga.
Málaga-Real Madrid | Amanhã | Sport TV | 18h00
ONDA AZUL EM LONDRES
Stamford Bridge pintado de azul. O Chelsea recebe o surpreendente Everton (3.º classificado) em mais um teste à competitividade da equipa londrina, muito massacrada pelo calendário. O sorriso de Mourinho alarga-se de jogo para jogo e mesmo sem Drogba, a equipa continua a ganhar e até já consegue goleadas. No entanto, ninguém se admire se o Everton pontuar em Londres.
Chelsea-Everton | Hoje | directo Sport TV | 15h00
Ver comentários