Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

A SORTE DE EDMUNDO

É o sonho de qualquer entusiasta de ténis poder conviver de perto, ainda que por breves segundos só na busca de um autógrafo ou fotografia, com alguns dos seus ídolos dos 'courts'.
10 de Abril de 2003 às 00:23
Edmundo ao lado de Kalfelnikov, uma grande amizade
Edmundo ao lado de Kalfelnikov, uma grande amizade FOTO: Marta Vitorino
Napolitano de nascença, o italiano Edmundo Vizcardi, de 30 anos, não precisa de andar a 'mendigar' nem a fugir aos seguranças para falar com os seus ídolos. Amante de tudo o que envolva raquetas, Edmundo conseguiu 'furar', ainda em pequeno, o elitista mundo do ténis. Hoje em dia, os jogadores, em especial na Europa, fazem questão de ter este transalpino por perto, ajudando em tudo o que for preciso. Ao todo, Edmundo já soma largas dezenas de torneios, tendo marcado presença no Jamor por três ocasiões.
E é invejável a sua relação com todos os jogadores, sejam eles homens ou mulheres. É uma conversa 'tu cá, tu lá'. "Ó Kafelnikov, vem aqui tirar uma fotografia comigo para o Correio da Manhã". E a 'estrela' russa, sem hesitar, lá acedeu a Edmundo.
"Jogo ténis desde pequeno. Comecei aos cinco anos e parei aos 18 devido a uma lesão no joelho direito", adiantou o italiano, que 'despachou' um amigo que interrompeu a conversa com o CM. "Não vês que estou a dar uma entrevista. Já falo contigo", retorquiu o napolitano, apostando este ano numa vitória da eslovena Srebotnik e do espanhol Robredo. "Ele é um grande amigo meu", avançou Edmundo que, apesar de italiano, está mais próximo de 'nuestros hermanos': "Eles são mais simpáticos. Mas o Alex Corretja é o jogador que mais admiro".
Verdadeiro conhecedor de quase todos os torneios europeus, Edmundo elege um trio como favorito: "Gosto do Estoril - a comida é boa e as raparigas bonitas -, de Barcelona e Roma".
Felizmente, o bom tempo abateu-se sobre Portugal e sobre o Estoril Open. As elevadas temperaturas têm levado à diminuição dos tecidos sobre os corpos de jogadores e espectadores.
No entanto, Edmundo foi apanhado desprevenido e lamentava-se pelos cantos. "Esqueci-me dos calções em Itália. Preciso de arranjar uns". Pelo carinho com que é tratado, logo se encetaram movimentações por parte de elementos de organização, jogadores e treinadores para que se arranjassem uns calções a Edmundo. E não teve de esperar muito...
FERRERO E A VISITA DE CORTESIA
O jogador mais esperado por todos os portugueses sempre apareceu. O espanhol Juan Carlos Ferrero, apontado como 1.º cabeça-de-série, anunciou a sua retirada da prova no sábado, devido a lesão no joelho direito, mas ontem veio até ao Jamor justificar-se a João Lagos. Não que o organizador da prova desconfiasse do atestado médico apresentado, mas sim porque Ferrero quis encontrar-se com o amigo. João Lagos havia dispensado a vinda de Ferrero, mas o 'mosquito', como é conhecido, quis vir visitar o torneio que venceu em 2001. "Todos sabem que queria jogar aqui, mas este ano não me foi possível devido a problemas físicos", ressalvou o tenista.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)