Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Adepto esfaqueado livre de perigo

O adepto do V. Guimarães que foi esfaqueado na zona do abdómen, por um homem referenciado como elemento de uma claque do Benfica, está livre de perigo.
28 de Janeiro de 2008 às 00:30
Mário, que reside em Creixomil, na cidade de Guimarães, foi atingido na zona do abdómen e submetido a uma intervenção cirúrgica. Livre de perigo, continua ainda internado no Hospital de Guimarães, enquanto o seu presumível agressor, de 30 anos, morador em Lisboa, foi identificado e enviado em liberdade dada a falta de flagrante delito. Conduzido à PSP de Guimarães, devido às denúncias dos companheiros da vítima, o homem, além de negar tais acusações, estava sem qualquer arma e, entretanto, a faca não foi encontrada, pela polícia.
O incidente foi cerca de uma hora antes do jogo, junto da porta nascente do Estádio do Vitória. Há mais dois feridos, entre os quais um rapaz de 19 anos, com ferimentos no crânio, e um jovem de 26 anos, atingido no braço direito, nas imediações do campo à mesma hora e perto do local do esfaqueamento, na localidade de Quintã, Guimarães.
Segundo a versão dos populares e da PSP, o ataque, inesperado, partiu de um grupo de dezenas de adeptos do Benfica, que terão ido em carrinhas tipo VIP, da marca Mercedes, tendo saído dos veículos armados não só com armas brancas, como “tochas”.
“Eles actuam à margem das claques oficiais e são os mesmos que há dois anos partiram isto tudo, desde a esplanada de um café até à área do Pavilhão do Desportivo Francisco de Holanda”, disse um amigo da vítima, referindo que “o Mário tinha deixado a claque quando casou e saiu do Bairro Nossa Senhora da Conceição”. E salientou que “já não vou ao futebol, porque isto está cada vez mais perigoso”.
Ver comentários