Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Adversários à lupa

Portugal conhece na segunda-feira o adversário do play-off que dará acesso ao Mundial da África do Sul. São duas finais a realizar nos dias 14 e 18 de Novembro. Conheça os candidatos.
16 de Outubro de 2009 às 00:30
Andrei Shevchenko é um dos perigos da Selecção Ucraniana
Andrei Shevchenko é um dos perigos da Selecção Ucraniana FOTO: D.R.

UCRÂNIA

EXPERIÊNCIA FRIA

Foi a única selecção que roubou pontos à Inglaterra de Capello (1-0 em Kiev). Portugal tem uma relação difícil com os ucranianos – basta lembrar que na última vez que falhámos um Mundial (1998) ficámos atrás deles e da Alemanha na qualificação. É sempre difícil jogar em Kiev a partir de Outubro: o frio e a neve são obstáculos não-negligenciáveis. Equipa corpulenta, pesada, de enorme capacidade física e algum traquejo internacional – os melhores jogadores estão ou passaram pelas grandes Ligas europeias. Muito cuidado com eles.

PRESENÇAS NO CAMPEONATO DO MUNDO: 1

2006 - Quartos-de-final

SELECCIONADOR

Mikhailichenko - Ucraniano

46 anos, jogou no Dínamo Kiev, Sampdoria e Rangers. Foi adjunto do mítico Lobanovsky no Dínamo (1997 e 2002). Entre 2004 e 2008 foi seleccionador dos sub-21 – chegou à final do Euro’2006.

ESTRELA

Andrei Shevchenko, Dínamo Kiev

Avançado, 32 anos, 43 golos em 93 jogos pela Ucrânia. Não terá a velocidade e acutilância dos tempos áureos (AC Milan), mas ganha ‘asas’ na selecção. Um perigo.

PONTOS FORTES

Disciplina táctica; A experiência de Shevchenko; Frio e neve jogam a seu favor.

PONTOS FRACOS

Veterania ; falta um ‘10’ de nível; dificuldade de recuperação em situações de desvantagem.

 

REP. IRLANDA

CRENÇA E 'TRAP'

Está de regresso ao primeiro plano do futebol europeu pela mão da ‘velha raposa’ italiana Trapattoni, quase 20 anos depois do período áureo de 1988-1994 (Jack Charlton). É uma espécie de Inglaterra ‘B’: menos recursos, menos talento, mas uma crença e uma combatividade que não se vê em nenhuma outra selecção britânica. Tem dois jogadores acima da média – Aiden McGeady (Celtic) e o goleador Robbie Keane (Tottenham). Não perdeu qualquer jogo na qualificação e, atenção, impôs dois empates (1-1; 2--2) à poderosa Itália.

PRESENÇAS NO CAMPEONATO DO MUNDO: 3

1990 - Quartos-de-final

1994 - 16/avos-de-final

2002 - 16/avos-de-final

SELECCIONADOR

Giovanni Trapattoni, Italiano

ESTRELA

Robbie Keane, Tottenham

Avançado, 29 anos, 40 golos em 94 jogos com a Irlanda. Já uma lenda do futebol. Jogou no Leeds, no Inter e Liverpool antes de regressar ao Tottenham.

PONTOS FORTES

Combatividade e crença; experiência da Liga inglesa.

Disciplina ‘à Trapattoni’.

PONTOS FRACOS

Défice de talento; dificuldade com o futebol latino.

 

BÓSNIA-HERZEGOVINA

DUPLA-MARAVILHA

Não é propriamente uma surpresa. Já tinha dado sinais de crescimento (sustentado) quando falhou por milímetros a presença no Euro’2004 e forçou dois empates à Espanha na qualificação para o Mundial 2006. Com a entrada em 2008 do seleccionador Blazevic, herói da Croácia (3º) no França 1998, a Bósnia deu o salto que lhe faltava. Foi goleada em casa (2-5) pela máquina espanhola, mas a missão estava cumprida: 2º lugar no grupo, 25 golos marcados em dez jogos, 14 deles à custa da dupla-maravilha do Wolsfburgo: Dzeko (9)-Misimovic (5).

PRESENÇAS NO CAMPEONATO DO MUNDO: 1

2006 - Quartos-de-final

SELECCIONADOR

Miroslav Blazevic, Bósnio-croata

ESTRELA

Edin Dzeko, Wolfsburgo

Avançado, 23 anos, marcou nove dos 25 golos da Bósnia na qualificação e, ao lado do compatriota Misimovic, foi um dos heróis do título alemão conquistado pelo Wolsfburgo.

PONTOS FORTES

Dois goleadores;Técnico competente.

PONTOS FRACOS

Falta de experiência; dependência de Misimovic.

Defesa mais fraca.

 

ESLOVÉNIA

O MAIS DESEJADO

É o adversário que todos os cabeças-de--série (Portugal, França, Grécia e Rússia) desejam encontrar, apesar de merecer respeito. Para nós continua a ser a selecção ‘de Zahovic’, mas o ex-portista-benfiquista não deixou sucessor. A Eslovénia está uns bons furos abaixo da Bósnia, da Rep. Irlanda e da Ucrânia : não tem verdadeiramente nenhum jogador de topo, embora Koren (WBA), Novakovic (Colónia) e Dedic (Bochum) não sejam desconhecidos para os fãs do futebol internacional. Mas foi perante a líder Eslováquia que Eslovénia brilhou.

PRESENÇAS NO CAMPEONATO DO MUNDO: 1

2002 - não passou da 1.ª fase

SELECCIONADOR

Matjaz Kek, Esloveno

ESTRELA 

Milivoje Novakovic, FC Colónia

Avançado, 30 anos, marcou 5 golos na qualificação. Colega de Petit e Maniche no Colónia, para onde se transferiu em 2006.

PONTOS FORTES

Koren, Novakovic e Dedic; ausência de pressão.

PONTOS FRACOS

Falta de experiência; nenhum jogador de verdadeira classe internacional.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)