Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Adversários marcaram mais golos

Ricardo deixou ontem passar na sala de Imprensa da Academia Sporting a ideia de que as duas derrotas consecutivas da equipa de futebol deixaram fortes marcas na moral do grupo. Intranquilo e pouco disponível, o guarda-redes do Sporting limitou-se a dar respostas ao jeito de quem cumpre uma obrigação contra a própria vontade.
8 de Dezembro de 2006 às 00:00
Ricardo deixou perceber mal-estar na equipa do Sporting
Ricardo deixou perceber mal-estar na equipa do Sporting FOTO: Manuel de Almeida/Lusa
Por entre um amontoado de lugares comuns, Ricardo falou sobre as razões que, no seu entender, explicam o mau momento que o Sporting atravessa. “É futebol. Os adversários marcaram mais golos do que nós. Treinamos diariamente com o máximo empenho e toda a dedicação, nas vitórias e nas derrotas. Ninguém gosta de perder, mas aconteceu e só nos resta fazer tudo para voltar às vitórias. Estamos tristes, mas não desalentados.”
Para Ricardo, perder com o Benfica e com o Spartak de Moscovo não são mais “duas derrotas”. Nem o facto de ambas terem acontecido em casa, uma ante o eterno rival e outra a significar o adeus à Europa, merecem análises mais profundas. “Houve jogos que ganhámos por 1-0. Nestes, como perdemos, toda a gente fala nisso. Mas não são derrotas diferentes, são iguais a todas as outras”, enfatizou.
Sobre os efeitos que estes dois desaires podem vir a ter no seio do grupo, o guarda-redes acredita que poderão surgir efeitos colaterais, “sobretudo nos mais jovens, pois eles necessitam de amparo nestes momentos e não têm tido”. Questionado sobre quem tem recusado tal apoio, Ricardo foi lesto na resposta: “Os adeptos. Esta equipa cheia de jovens é a mesma que deu muito orgulho aos adeptos noutros momentos da época. É bonito sentir o apoio quando as coisas correm bem, mas é nos momentos menos bons que os jogadores, especialmente os mais jovens, necessitam do apoio dos adeptos e não de assobios.”
A deslocação a Setúbal foi igualmente abordada. Ricardo diz que não existem jogos “mais fáceis ou menos fáceis. Todos eles têm um elevado grau de dificuldade e nós entramos em campo sempre para vencer”.
SECRETARIA TAMBÉM VAI PARA VENDA
Os sócios do Sporting aprovaram em Assembleia Geral a delegação de competências no Conselho Leonino para decidir sobre a venda do edifício da secretaria do clube por uma verba que ronda os 500 mil euros.
Trata-se de uma operação em tudo igual à que já dera luz verde para a alienação do património não desportivo do clube. A estrutura em causa está situada entre o estádio e o Edifício Visconde de Alvalade.
Na referida AG, Soares Franco ouviu críticas de alguns associados, descontentes com os resultados mais recentes da equipa de futebol.
Como sempre acontece nestes momentos, as políticas adoptadas são questionadas e Soares Franco teve mesmo de sair em defesa de Carlos Freitas, visado por algumas críticas mais contundentes. “Um sócio fez um comentário que mereceu a minha reprovação”, explicou Soares Franco.
DEIVID APOIA EX-COLEGAS DO SPORTING
O avançado Deivid, cujo passe foi vendido pelo Sporting ao Fenerbahce no início da época, afirmou ontem estar confiante que os seus antigos companheiros vão sair depressa da situação em que se encontram.
“O Sporting começou muito bem o campeonato e a Liga dos Campeões. Agora perdeu com o Benfica e falhou a Taça UEFA, mas tem tudo para ultrapassar esta fase, pois conta com um excelente treinador, grandes jogadores e um bom grupo”, disse em declarações à Antena 1. Sobre a crise de Liedson, Deivid – que fez sete golos em dez jogos pelo Fenerbahce – diz tratar-se “de uma fase que todos os avançados vivem. Ele vai dar a volta por cima.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)