Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Águia ainda complica o que tornou fácil

O Benfica deu ontem clara indicação de que está em crescendo, ao derrotar (4-2) o Slask Wroclaw, resultado que lhe garantiu a presença na final do torneio do campeão polaco.
22 de Julho de 2012 às 01:00
Martins festeja o 3-2 do Benfica após remate à barra de Melgarejo
Martins festeja o 3-2 do Benfica após remate à barra de Melgarejo FOTO: Bruno Colaço

A equipa de Wroclaw jogava no seu ambiente, mas quem se sentiu em casa desde o início foi o Benfica, com Witsel a ser um patrão de grande competência.

O Slask foi uma formação que raramente encontrou argumentos para contrariar o jogo bem articulado das águias, num futebol curto e em progressão, e com um pressing à frente que obrigava o adversário a jogar para onde estava virado.

O golo de Cardozo aos 11’, após jogada magistral de Witsel, que num toque de calcanhar tirou dois defesas do caminho e serviu o paraguaio, já se adivinhava devido ao melhor futebol das águias.

Essa tendência do jogo foi-se mantendo com o decorrer do tempo, numa primeira parte em que se notou a boa assimilação dos princípios de Jorge Jesus: uma equipa compacta, a desdobrar-se bem, a sair em progressões rápidas e sempre com futebol apoiado, o que permitiu, por exemplo, a Melgarejo (novamente lateral-esquerdo) não ter de passar por situações de apuro defensivo.

Na segunda parte, veio a rotatividade. Começaram por entrar Carlos Martins, Gaitán e Ola John. Luisão fez o 2-0, de cabeça, a livre de Carlos Martins, mas o Benfica teve um ligeiro apagão que lhe custou caro e em dois minutos sofreu dois golos quando nada o fazia prever. Uma abordagem macia dos lances, com Martins e Artur a facilitarem no primeiro golo e Maxi a não antecipar o remate do 2-2.

Quando tudo parecia estar novamente em aberto, mais por demérito do Benfica do que por mérito do Slask, as águias voltaram a marcar as diferenças, sempre com Martins no centro das operações. Finalizou bem (3-2) um primeiro remate de Melgarejo à trave e assistiu Gaitán (entrou bem) para o 4-2 final.

RETO ZIEGLER PEDE UM MILHÃO/ANO

O lateral-esquerdo Reto Ziegler está em conversações com o Benfica, mas exige o mesmo salário que aufere na Juventus: um milhão de euros por época, verba que as águias consideram excessiva.

No entanto, segundo as fontes contactadas, o internacional suíço, de 26 anos, não está descartado. Os encarnados esperam que os italianos comparticipem no ordenado do jogador, mas, até ontem, não tinham dado qualquer indicação nesse sentido. A Juventus pretende vender o jogador, que não entra nos planos do técnico Antonio Conte e as águias, para já, estão apenas a equacionar o empréstimo. Contudo, se chegarem a acordo com o defesa em relação ao salário, o Benfica está disposto a pagar três milhões de euros à Juve, a mesma verba que apresentou ao Spartak de Moscovo por Marcos Rojo. Os russos rejeitaram e o lateral/central foi para o Sporting, por quatro milhões.

Além do Benfica, também Everton, Dínamo de Kiev, Valência e Fenerbahçe (onde Ziegler actuou em 2011/12, cedido pela ‘Vecchia Signora’) estão na corrida.

Certeiro Benfica vence Slask Wroclaw final torneio polaco
Ver comentários