Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Águia andou perdida

Não foi só a águia Vitória que andou perdida ontem à noite na Luz, pois também a equipa de Quique Flores chegou a ter hipotecados os três pontos que lhe permitiriam ultrapassar o FC Porto na classificação, acabando por alcançar o triunfo por 2-1 sobre uma Naval muito bem organizada, mas que acusou a saída forçada do defesa Diego.

27 de Outubro de 2008 às 00:30
Suazo sem medo numa luta interessante com dois adversários da Naval. Ganhou o lance e o Benfica ganhou o jogo
Suazo sem medo numa luta interessante com dois adversários da Naval. Ganhou o lance e o Benfica ganhou o jogo FOTO: Andre Kosters, Lusa

Mais uma vez, o treinador do Benfica não revelou instinto ‘assassino’, entrando em jogo com muita prudência, apostando num domínio desgastante a longo prazo. A partir dos 20 minutos, depois de ter passado por dois valentes sustos (Marcelinho aos 11’ e Alex aos 18’), o Benfica dominou territorialmente e chegou a dispor de algumas situações de possível golo, por Reyes, muito rematador, e por Suazo, pouco eficaz. Mas em muitas fases a equipa encarnada andou à deriva, em contraste com as bem organizadas manobras ‘navais’.

Impunham-se alterações, mas o espanhol manteve o mesmo meio-campo, duro de rins e acéfalo (Yebda, Amorim e Martins), cuja linguagem é incompreensível para jogadores bem mais inteligentes, como Reyes, Suazo ou Nuno Gomes. Só depois dos 60’, entraram Di María, que mexeu com o ritmo do jogo, e ainda Cardozo e Katsouranis, o que provocou algumas hesitações na equipa da Figueira, também afectada pela lesão do central Diego, que estava a ser o seu melhor elemento.

O gigante brasileiro do centro da defesa visitante já não estava lá para impedir Luisão – de concluir nas alturas um livre teleguiado de Reyes – e o cabeceamento, também fulminante de Cardozo, a idêntico centro de Jorge Ribeiro.

Entre os dois tentos encarnados, viveram-se momentos dramáticos na Luz, quando Marcelinho, a centro de Michel, marcou um golo mais do que merecido, após diversas iniciativas de Marinho. A Naval perdeu, mas deixou uma impressão muito positiva pela entrega, organização e algum talento.

ANÁLISE

POSITIVO: CAPITÃES A POSTOS

Luisão recupera a confiança e volta a ser uma figura respeitada na Luz, bem como Nuno Gomes, nas suas novas funções de apoio ao ponta-de-lança. Os capitães cumprem o seu papel numa equipa com tanta gente nova.

NEGATIVO: QUIQUE NÃO ARRISCA

Quique Flores livrou-se de mais um empate, mas não consegue disfarçar uma atitude contemplativa, expectante e pouco arriscada, que se reflecte na passividade da equipa em largos períodos do jogo.

ARBITRAGEM: DOIS ERROS GRAVES

Num jogo de baixa agressividade, teve apenas dois lances complicados para julgar, o penálti de Alex sobre Ruben Amorim e uma desmarcação regular de Marinho: errou ambos, escandalosamente!

CINCO ANOS DE LUZ SEM VOO

Foi em clima de festa mas sem o habitual voo da águia Vitória que os adeptos encarnados celebraram, ontem, o quinto aniversário do Estádio da Luz.

A ave assustou-se com os confetis resultantes da festa que antecedeu o apito inicial da partida ante a Naval, e só minutos depois seria encontrada junto às obras que circundam o recinto. "Felizmente já a recuperámos. Ela assustou-se com o ambiente de festa e saiu do estádio", disse ontem ao CM Juan Barnabé, tratador da águia, culpando-se pelo sucedido.

O encontro de ontem ficou ainda marcado pela homenagem a Nuno Gomes (150 golos ao serviço do clube e o primeiro a marcar no novo estádio). Entretanto, Cardozo disse no final do jogo que "o mais importante foi a vitória", numa partida "bem disputada".

FICHA DO JOGO

LIGA – 6.ª Jornada – 26/10/08

Estádio da Luz – Assistência: 45 714

Golos: 1-0, Luisão (71’); 1-1, Marcelinho (82’); 2-1, Óscar Cardozo (86’)

BENFICA: Quim, Maxi Pereira, Luisão, Sidnei, Jorge Ribeiro, Yebda (Katsouranis, 67m), Ruben Amorim (Di María, 55m), Carlos Martins, Reyes, Nuno Gomes e David Suazo (Cardozo, 66m). Treinador: Quique Sánchez Flores.

NAVAL: Peiser, Carlitos, Paulão, Diego Ângelo (Fabrício, 67m), Dudu, Baradji, Alex Hauw, Bruno Lazaroni, Davide (Marinho, 57m), Marcelinho e Bolívia (M. Simplício, 76m). Treinador: Ulisses Morais.

Árbitro: Rui Costa (Porto)

Disciplina: Cartões amarelos - Dudu (60’), Carlitos (73’)

Classificação do jogo: 5

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)