Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Ai Jesus, credo Benfica assusta

A defesa do Braga, melhor da Liga ao início da partida, ofereceu ontem uma vitória dilatada ao Benfica, ajudando Quique Flores a vencer copiosamente Jorge Jesus na questão do 3º lugar e gorando muito cedo a perspectiva de um grande duelo táctico entre os dois técnicos. A equipa do eventual futuro treinador encarnado assustou-se com o adversário, mas poderia ter chegado a um resultado menos desnivelado, não fosse a seguríssima exibição do regressado guarda-redes Moreira, que só não defendeu um penálti.
18 de Maio de 2009 às 00:30
O argentino Di María, autor de um golo, ganha o lance ao arsenalista Filipe Oliveira
O argentino Di María, autor de um golo, ganha o lance ao arsenalista Filipe Oliveira FOTO: Hugo Delgado

Uma série de erros e diversas falhas de concentração desencadearam um jogo vivo, quase frenético, embora mal jogado tacticamente. Dos erros nasceram dois golos do Benfica no primeiro quarto de hora, primeiro com Cardozo a enganar a linha de fora-de-jogo muito subida, para corresponder a um excelente lançamento de Katsouranis, e depois com Di María a acreditar numa recuperação de bola perante Eduardo.

O Braga reagiu bem e pressionou o Benfica que teve de alterar o esquema inicial, devido à lesão prematura de David Luiz, que regressava ao centro da defesa. Assim, não houve tempo para observar de novo Maxi Pereira na sua posição original, formando um meio-campo inédito com Ruben Amorim e Katsouranis, uma fórmula interessante, mas com os dias contados se o grego deixar o clube.

Moreira revelou-se decisivo na melhor fase dos bracarenses, negando o golo a Paulo César (23’) e a Rentería (29’), em lances que desanimaram os bracarenses e acabaram por permitir ao Benfica regressar ao controlo das operações.

O segundo tempo foi menos interessante, com outro golo prematuro, e por causa do festival de cartões amarelos que deixou o Benfica a jogar com dez na última meia hora. Logo a abrir, mais uma oferta incrível de Leone para Urretavizcaya aumentar para 3-0 e liquidar em definitivo as esperanças minhotas – desnível que só foi atenuado com um penálti no final da partida. O jovem uruguaio confirmou as boas indicações da partida anterior, começando a ganhar espaço: aos 60 minutos, centrou de forma magnífica para Cardozo fazer o seu habitual remate ao poste.

JORGE JESUS FAZ TABU

Jorge Jesus não quis confirmar se vai orientar o Benfica na próxima época. "Tenho mais um ano de contrato com o Sp. Braga. Quem me quiser vai ter de falar com o presidente [António Salvador]", disse, revelando que não chegou a cumprimentar Quique no final.

O treinador bracarense lamentou "os erros excessivos", mas garantiu que vai ao Dragão, na última ronda, para "ganhar ao FC Porto."

Já do lado encarnado, Quique Flores, que foi expulso durante o jogo, só falou na sala de imprensa, mostrando-se "compreensivo" pela desilusão dos adeptos do Benfica. n J.C.M.

ANÁLISE

POSITIVO: MOREIRA BARALHA

Na semana em que Queiroz voltou a lembrar-se de Quim, Quique baralhou a eleição do guarda--redes para a Selecção, ao permitir a reabilitação de Moreira. Até Eduardo acusou a pressão.

NEGATIVO: DESCALABRO DEFENSIVO

Raramente uma equipa treinada por um mestre defensivo como Jesus terá cometido tantos erros como o Braga. De Eduardo a Leone, passando por Frechaut e João Pereira, foi mau de mais.

ARBITRAGEM: MAIS UM EQUÍVOCO

O árbitro que expulsou Quique. Para ser o próximo internacional, falta-lhe categoria. Erros graves, como uma falta inventada a Di María para resolver um erro de Leone, e amarelos sem critério.

FICHA DE JOGO

LIGA - 29.ª Jornada - 17/05/09

Local: Estádio Municipal de Braga - Assistência: 15 000

SP. BRAGA: Eduardo, João Pereira, André Leone, Frechaut, Evaldo, Filipe Oliveira (Rodríguez 46’), Alan (Luís Aguiar 46’), Mossoró, César Peixoto (Matheus 61’), Rentería, Paulo César. 

Treinador: Jorge Jesus

BENFICA: Moreira, Miguel Vítor, Sidnei, David Luiz (Urreta 12’), Jorge Ribeiro, Katsouranis (Yebda 56’), Ruben Amorim, Maxi Pereira, Reyes, Di Maria (C. Martins 70’), Cardozo.

Treinador: Quique Flores

Golos: 0-1 Cardozo (7’), 0-2 Di María (13’), 0-3 Urreta (47’), 1-3 Luís Aguiar (90’ g.p.)

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto) 1

Disciplina:  Amarelos: Reyes (16’), Mossoró (26’), João Pereira (30’), Moreira (32’), Filipe Oliveira(33’), Ruben Amorim (50’), Yebda (62’, 67), Urreta (78’), Paulo César (83’), Rentería (88’), Miguel Vítor (89’), Vermelhos: Yebda (67’)

Classificação do jogo 7

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)