Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

ALVALADE MERECIA MAIS

Na despedida ao Estádio José de Alvalade esperava-se um encontro de futebol que ficasse para a história leonina. E foi isso mesmo que aconteceu ontem entre Sporting e Vitória de Setúbal, no último jogo realizado naquele estádio.
25 de Maio de 2003 às 00:10
Acabou por ser uma despedida muito triste, com a formação da ‘casa’ a sair derrotada, por 3-4, frente a uma equipa condenada à descida de divisão. Repetiu-se a história, pois no jogo de inauguração, frente ao Vasco da Gama, o Sporting também perdera (2-3).
Resultado à parte, foi uma despedida em grande, com muitos golos, só nos primeiros 30 minutos foram marcados cinco. Uns atrás dos outros, com Meyong a inaugurar o marcador para os sadinos. Entretanto, Carlos Cardoso tinha substituído dois jogadores devido a lesão e perdido o guarda-redes, Marco Tábuas, também lesionado, estreando-se jovem Rodrigo.
Durante a segunda parte, o encontro foi menos espectacular. Aos 67’ surgiu o tento do empate para os ‘leões’, feito por Quaresma e, aos 79’, o caso do jogo. Jardel rematou com força, fazendo a bola bater na barra e na linha de golo. Ficaram dúvidas...
Já em tempo de compensação, surgiu a derrota, com Meyong a fechar a contagem. Neste último jogo em Alvalade, o setubalense ficou na história ao marcar o primeiro e o último golo da partida. O ‘velhinho’ recinto dos ‘leões’ merecia mais...
JARDEL: OS SÓCIOS QUE ME PERDOEM
Mário Jardel aproveitou ontem o jogo de despedida de Alvalade para se desculpar perante os sócios de todos os problemas que causou à equipa.
Depois de ter sido substituído, a sete minutos do fim, o brasileiro disparou: “Da minha parte tenho boas recordações deste estádio, onde fiz muita coisa boa, mas também muita coisa errada, devido a alguns problemas pessoais. Peço desculpa aos adeptos por todos os problemas que causei e espero que os sócios me perdoem”.
Com o semblante carregado, SuperMário referiu ainda: “Quero esquecer este ano. Vai começar uma nova época e eu já estou a pensar no futuro”.
Quanto à sua eventual saída de Alvalade, o brasileiro é peremptório: “Tenho mais um ano de contrato e a SAD já sabe do meu futuro. Por mim vou honrar o compromisso”.
No que respeita ao jogo da despedida, o avançado reconheceu que a equipa fez tudo para ganhar.
Já o técnico romeno Laszlo Bölöni, outra vez muito contestado pelos adeptos, considerou que a sua equipa não merecia a derrota. “Infelizmente perdemos! A minha defesa foi humilhada com quatro golos”, adiantou, reconhecendo que o Estádio irá figurar para sempre nas suas memórias. A tristeza e nostalgia também se apoderou dos vencedora, que têm o seu destino traçado rumo à II Liga. Meyong, autor do último golo no velho Alvalade, manifestou-se contente com o feito, mas triste com a despromoção. “Queremos deixar a SuperLiga com dignidade e esta exibição demonstra que não merecíamos perder”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)