Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Ameaças de morte sem nomes

A carta anónima com ameaças de morte que chegou ao Sporting após a goleada (7-1) diante do Bayern Munique não aponta qualquer nome, assegurou ontem ao CM fonte do clube de Alvalade.
17 de Março de 2009 às 00:20
Jogadores e técnicos do Sporting já foram avisados pelos dirigentes para desvalorizar carta anónima com ameaças de morte
Jogadores e técnicos do Sporting já foram avisados pelos dirigentes para desvalorizar carta anónima com ameaças de morte FOTO: Rui Minderico/Record

"Tem uma letra esquisita, está cheia de erros de português e as ameaças de morte são feitas de modo genérico a jogadores e treinadores. Não menciona um único nome", disse a fonte contactada, que solicitou para não ser identificada.

Os dirigentes leoninos "desvalorizaram" o conteúdo da carta, mas informaram as autoridades: "Sempre que a equipa perde há pessoas que escrevem para o clube fazendo diverso tipo de ameaças. Não devem ter mais nada para fazer."

O CM apurou, também, que o facto de um jornal desportivo ter noticiado que a carta apontava o nome de vários jogadores e de um treinador causou alguns problemas aos visados: "Todos têm filhos e, naturalmente, ficaram preocupados. Já foram informados de que a notícia não tem qualquer fundamento."

Ontem, em comunicado, o Conselho Directivo dos leões revelou que na carta anónima "não constam ameaças individualizadas."

Quanto à intervenção da PSP, no decorrer do Sporting-Rio Ave (2-0, no sábado) nas bancadas para retirar faixas que criticavam – numa estava escrito "Vergonha" – a equipa pela exibição diante do Bayern, na Champions, a mesma fonte assegurou que as autoridades "não actuaram a pedido da direcção" do Sporting: "Nos regulamentos do clube não existe qualquer ponto onde seja proibido criticar a equipa com tarjas no estádio."

"O que se passou foi que houve adeptos que não gostaram das faixas e interpelaram as pessoas que as exibiam. Como se criou um conflito, a PSP dirigiu-se ao local e retirou o motivo desse conflito: as faixas", acrescentou a mesma fonte.

O CM sabe, no entanto, que o Sporting pediu reforço policial para o embate com o Rio Ave. A PSP enviou 120 agentes para Alvalade, mais 20 do que é habitual em jogos que não sejam com o FC Porto, Benfica ou para as competições europeias.

QUEIROZ DIZ ESTAR SOLIDÁRIO COM BENTO E PLANTEL LEONINO

Carlos Queiroz solidarizou-se ontem com os jogadores e o treinador do Sporting , devido às goleadas (5-0 e 7-1) com o Bayern para a Liga dos Campeões. "Nós, como profissionais, temos de ser solidários, temos de mostrar e dizer às pessoas que só quem anda lá dentro é que sabe que estas coisas podem acontecer no futebol e, se calhar, nunca mais na vida se repetirão", disse.

O seleccionador falava aos jornalistas, em Rio Maior, à chegada à concentração da selecção B de futebol.

"Como profissional, porque também estou exposto a isto e sei que as pessoas que estão dentro da arena podem ter a glória, mas também o sangue das feridas, acho que o Sporting, os seus jogadores e o seu treinador merecem todo o sentido de solidariedade perante um momento, que não foi positivo, mas tenho a certeza que muito dificilmente, até historicamente, deverá repetir-se", acrescentou.

Questionado sobre se "há vida ou morte no futebol", Queiroz afirmou: "Para alguns há vida ou morte, sobretudo para aqueles que têm um bom negócio montado em volta disso, mas não para nós."

VASSOURAS PARA A SAD

Um grupo de adeptos deixou ontem no edifício Visconde de Alvalade 13 vassouras. O objectivo seria limpar o piso da direcção da SAD do Sporting. Os adeptos apresentaram-se também com faixas de protesto, mas ilibaram Paulo Bento e o plantel do actual momento dos leões. "O clube ficou sem nada, passou-se tudo para a SAD. O treinador e os jogadores são os menos culpados de toda a actual situação", disse um dos contestatários. O presidente do clube, Filipe Soares Franco, cruzou-se com os adeptos, mas não fez qualquer comentário.

APONTAMENTOS

CANEIRA CONFIANTE

"O Sporting tem qualidade para ganhar mais esta final", disse Marco Caneira, sobre o jogo de sábado, para a Taça da Liga, frente ao Benfica, em declarações ao jornal do clube.

LIEDSON PORTUGUÊS

O processo de naturalização de Liedson não estará finalizado antes de Setembro, como o CM avançou em primeira mão, altura em que o ‘levezinho’ cumpre, na integra, os seis anos de residência em Portugal, confirmou ontem Gilmar Veloz, empresário do jogador, à chegada a Lisboa.

PATRÍCIO NA BALIZA

Rui Patrício será o titular na final da Taça da Liga, apesar de Tiago ter feito quase toda a prova a titular, como nas meias-finais frente ao FC Porto.

O OLHAR DOS ADEPTOS

Qual a importância da Taça da Liga para as duas equipas?

JOÃO BRAGA, FADISTA

Depende de quem chega à final. Eu explico: em 2008, na sua 1ª edição, a Taça foi desdenhada pelo Benfica e pelo FC Porto, a partir do momento em que ficaram fora da competição, com o Vitória de Setúbal de vencedor e o Sporting de finalista vencido — condição que eu espero ver agora rectificada. Claro que os dragões continuam a depreciar a Taça, até o dia em que atinjam a final — aí o seu prestígio será incalculável. Para mim, é uma espécie de Torneio do Guadiana a meio da época. Se o resultado se repetir, mudo de opinião…

JOÃO BOTELHO, REALIZADOR

A Taça da Liga tem agora uma importância enorme para o Benfica, já que é a única coisa que ainda podemos ganhar. A partir da derrota [0-1] com o Vitória de Guimarães, para a Liga, a final de sábado passou a ter outra dimensão. É onde nos podemos agarrar esta temporada. E nem é só uma questão de ganhar ou perder, é uma questão da equipa jogar mal. No entanto, uma vitória na Taça da Liga nunca será o suficiente para salvar uma época. É uma taça pequena. Pode vir a ser uma grande competição, mas por enquanto ainda não é.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)