Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Árbitros em má forma ficam fora

Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, garantiu ontem que os árbitros em má forma ou que tenham sido avaliados negativamente não serão nomeados para dirigir jogos. O dirigente recusa a ideia de que se trata de castigos e prefere falar em gestão de um grupo, tal como fazem os treinadores nas equipas. “Não há nenhum castigo, há um sistema de gestão de pessoas, tal como nas equipas, onde as melhores arbitragens são premiadas, enquanto as menos conseguidas, ou seja, os árbitros que estão em menor forma física, técnica e motivacional ficam de fora. Em cada jornada temos 25 árbitros e 16 jogos, por isso nove têm de ficar sempre de fora. Tal como nas equipas, uns são convocados e outros não”, disse Vítor Pereira ao CM.
10 de Novembro de 2007 às 00:00
Vítor Pereira: 'Não há nenhum castigo, há um sistema de gestão de pessoas, como sucede nas equipas'
Vítor Pereira: 'Não há nenhum castigo, há um sistema de gestão de pessoas, como sucede nas equipas' FOTO: Manuel Araújo, Record
Os árbitros Paulo Baptista e Rui Costa, que cometeram erros nos dois últimos jogos do FC Porto (o primeiro não assinalou fora de jogo de Postiga no golo frente ao Belenenses e o segundo deixou passar uma mão de Lisandro no primeiro golo ante o Leixões) ficaram de fora esta ronda e Jesualdo Ferreira, técnico dos dragões, pediu para conhecer quais os critérios. Vítor Pereira reage assim: “Não vamos comentar isso na praça pública, também nunca vi um treinador dizer por que razão joga um e não outro jogador.”
Já Duarte Gomes, que errou no Estrela-Benfica e V. Guimarães-U. Leiria, foi ele próprio que pediu para não ser nomeado (ver texto ao lado).
“Premiamos o mérito, os que apitarem melhor têm mais jogos”, disse Vítor Pereira, frisando que “estes critérios não são novos, existem desde que entrámos em Outubro de 2006”. O dirigente salientou ainda que “a nota dos observadores é apenas um dos factores na avaliação dos árbitros” e que “2,9 já é considerado nota negativa”.
REACÇÕES
"QUERO CONHECER QUAIS OS CRITÉRIOS" (Jesualdo Ferreira, Treinador FC Porto)
“Pelos vistos têm havido muitos erros, mas só à nona jornada é que há estas situações punitivas. Abre-se o jornal à segunda-feira e todos os árbitros cometeram erros. Depois uns vão para a jarra e outros não. No caso concreto dos jogos do FC Porto, não sei se houve tantos erros assim que fossem imediatamente de punir. Quero conhecer primeiro os critérios.”
"CASTIGO É TERMO DEMASIADO SEVERO" (Olegário Benquerença, Árbitro)
“Esta situação não é nova e não compreendo toda a celeuma que está a causar. Encaro isto com naturalidade. Num quadro de 25 árbitros e 16 jogos por semana ficam sempre nove de fora. É normal que a Comissão de Arbitragem nomeie os árbitros que do seu ponto de vista estão melhor em cada momento. Chamar a isto castigo é um termo demasiado severo. É um processo de escolha assente em determinados critérios.”
"PEDI PARA NÃO SER NOMEADO" (Duarte Gomes, Árbitro)
“Ficou definido que em casos de jogos mal conseguidos os árbitros parariam pelo menos uma semana. No meu caso, não vou dirigir nenhum jogo porque pedi à Comissão de Arbitragem para não ser nomeado. Na sequência de uma operação a uma hérnia discal, da qual nunca recuperei totalmente, ganhei peso e estou longe da forma ideal. Estive mal nos jogos Estrela-Benfica e V. Guimarães-U. Leiria, tenho um prestígio a defender e pedi para não ser nomeado.”
Ver comentários