Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Atleta do Boavista vítima de racismo durante jogo

Árbitra do jogo com o A-dos-Francos expulsou jogadoras que chamaram “preta do c..” a Milena Bispo.
Nelson Rodrigues 18 de Abril de 2019 às 08:55
A carregar o vídeo ...
Atleta do Boavista vítima de racismo durante jogo
Milena Bispo, jogadora do Boavista, assegurou ao CM que foi vítima de racismo no jogo em casa do A-dos-Francos, das Caldas da Rainha, no sábado, em partida a contar para a I Liga de futebol feminino.

Garante que foi insultada por duas adversárias, que acabaram por ser expulsas. Sem pedidos de desculpa por parte das futebolistas do A-dos-Francos, a internacional brasileira, de 20 anos, que chegou aos axadrezados em dezembro do ano passado, resolveu avançar com uma queixa-crime.

Segundo Milena, a primeira situação ocorreu aos 45 minutos. "Durante um lance em que fui dividir a bola com uma adversária, ela acabou por cair em cima do meu tornozelo. Eu desequilibrei-me e pisei-a. Ela levantou-se muito alterada a chamar-me ‘preta do c...’. A árbitra expulsou-a", contou.

Aos 89 minutos, novos insultos e nova expulsão. "Foi no meio-campo, quando fui tirar uma bola e acabei por tocar na adversária. O lance seguiu, sem falta, e fui novamente chamada de ‘preta’.

A árbitra mostrou-lhe logo o cartão vermelho e disse ‘racismo é intolerável’", explicou ainda a futebolista brasileira, acrescentando que foi a primeira vez que se sentiu alvo de discriminação.

"Senti-me bastante humilhada com as expressões, até porque elas tentaram justificar os insultos como algo normal, como se fosse um ‘bom dia’. Quero que isto sirva de exemplo para outras pessoas. Racismo no futebol no século XXI não pode acontecer", frisou Milena.

Ao CM, José Domingos, presidente do A-dos-Francos, afirmou não estar a par da queixa-crime de Milena, mas garantiu que vai falar com as atletas em causa.

"Rejeitamos por completo o racismo. Esta situação é intolerável e não admito isto no clube. Nunca antes nos aconteceu algo do género e também temos atletas na equipa de cor. Não consigo entender", vincou.

"Acharam que expulsão não foi merecida"
Milena Bispo apresentou a queixa-crime através do seu advogado Carlos Macanjo.

"Este é um comportamento deplorável, inusitado e de repudiar. A atleta ficou tão revoltada que resolveu, e bem, apresentar queixa-crime por este comportamento", disse ao CM o advogado da jogadora vítima de racismo.

"As atletas em causa menosprezaram o comportamento. Acharam que foram expulsas de forma ridícula e que não mereciam o cartão vermelho. A árbitra em causa, Cátia Duarte, esteve muito bem na decisão que tomou", frisou Carlos Macanjo.

O jogo terminou com a vitória do Boavista por 3-2.

"Não pediram desculpas"
Milena esperava por um pedido de desculpas por parte das adversárias ou do clube A-dos-Francos no final do jogo, mas garante que tal não sucedeu.

"Era o mínimo que podiam fazer. Ninguém me pediu desculpas nem me contactou", referiu a internacional canarinha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)