Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Benfica compreende "tomada de posição dos árbitros"

"Governo e quem superintende as competições tem de assumir as suas responsabilidades", afirmou Vieira.
Lusa 25 de Novembro de 2017 às 21:20
Benfica compreende 'tomada de posição dos árbitros'
Luís Filipe Vieira
Luis Filipe Vieira
Luís Filipe Vieira
Benfica compreende 'tomada de posição dos árbitros'
Luís Filipe Vieira
Luis Filipe Vieira
Luís Filipe Vieira
Benfica compreende 'tomada de posição dos árbitros'
Luís Filipe Vieira
Luis Filipe Vieira
Luís Filipe Vieira
O presidente do Benfica disse este sábado que a indústria do futebol vive "um caos", no qual o clube não quer estar, e exigiu "bom senso" a todos os intervenientes. Luís Filipe Vieira disse que, "perante um quadro de permanente coação, intimidação e ameaça, é preciso dizer, de forma clara", que o Benfica "compreende" a recente "tomada de posição dos árbitros" portugueses e "os seus motivos e as suas motivações e até seria natural que já tivesse surgido mais cedo".

"É preciso, de uma vez por todas, acabar com estas situações na salvaguarda da verdade desportiva", frisou, defendendo que "o Governo e quem superintende as competições profissionais tem de assumir as suas próprias responsabilidades".

"É isto que o futebol tem de ser: uma festa, em que as famílias participem, em que os adeptos expressem de forma positiva o seu amor ao clube. Daí que se exija o bom senso da parte de todos os intervenientes nesta importante indústria, que vive atualmente um caos, em, que nós não queremos estar", disse Luís Filipe Vieira, num jantar após ter inaugurado a Casa do Benfica na vila de Castro Verde, no distrito de Beja, no Alentejo.

Segundo o dirigente dos 'encarnados', "se existe quem não seja capaz de impor regras rigorosas e claras, então que se encontre uma solução conjunta que normalize as competições".

"O Benfica, como sempre, está disponível para, de forma construtiva, ajudar a encontrar as melhores soluções", afirmou.

Recentemente, vários clubes têm levantado suspeições e trocado acusações, visando quase sempre o setor da arbitragem.

Já esta época, a Associação Portuguesa de Árbitros Profissionais convocou uma 'greve' para os jogos de dezembro da Taça da Liga, que, entretanto, foi desconvocada.

Após os últimos resultados do Benfica, Vieira deixou o "apelo" aos adeptos 'encarnados': "É nas horas que as coisas não correm da forma como desejamos que temos de apoiar [o clube] e estar unidos. O que se construiu com muito esforço até agora não pode ser colocado em causa por um resultado ou por uma fase menos positiva."

"No Benfica trabalha-se muito, sabemos assumir as nossas conquistas, mas também os nossos insucessos. É assumindo, sem desculpas, que evoluímos, melhoramos e não é só nos insucessos que nos questionamos ou nos desafiamos, quando ganhamos, tem acontecido com muita frequência, não nos acomodamos, vamos logo em busca de novos desafios", disse.

Vieira disse que o Benfica tem "uma estratégia bem definida, um caminho também bem definido, que não vai ser alterado à menor contrariedade que possa existir", "sabe por onde quer ir" e "não vive do momento, nem do desespero" e "quando termina um projeto já está a pensar noutros futuros".
Governo Castro Verde Luís Filipe Vieira Casa do Benfica presidente do Benfica desporto futebol
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)