Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

BENFICA QUEIXA-SE À FIFA, UEFA, LIGA E GOVERNO

O Benfica anunciou ontem que vai solicitar audiências ao Governo por causa dos acontecimentos durante o jogo com o FC Porto. A Direcção ‘encarnada’ e a administração da SAD estiveram reunidas na Luz durante cerca de quatro horas e no final foi emitido um comunicado a dar conta da insatisfação face à actuação do árbitro Olegário Benquerença.
19 de Outubro de 2004 às 00:00
O Benfica vai solicitar audiências ao ministro Adjunto do primeiro-ministro com a tutela do Desporto, Henrique Chaves, e ao ministro da Administração Interna Daniel Sanches. Será também apresentada uma exposição à Liga Portuguesa de Futebol Profissional e dado conhecimento à UEFA e à FIFA do sucedido durante o clássico. Os ‘encarnados’ manifestam o seu descontentamento em relação ao comportamento das autoridades e não poupam críticas à Comissão de Arbitragem da Liga, responsável pela nomeação de Olegário Benquerença para o clássico de domingo, que terminou com uma vitória do FC porto por 1-0.
No comunicado da Direcção, pode ler-se: “A Direcção do Benfica reitera a todos os sócios e adeptos o seu total repúdio pela forma como as autoridades se comportaram; o seu profundo lamento pela, no mínimo, inqualificável arbitragem que levou o clube a perder três pontos e o FC Porto a ser beneficiado com o mesmo número de pontos, sem que, quer da parte da Comissão de Arbitragem da Liga quer da parte da equipa de arbitragem, houvesse qualquer manifestação de arrependimento”.
A terminar, o clube sublinha a sua intenção de contribuir para a melhoria da imagem do futebol português. “O Benfica afirma o seu empenho em tudo fazer para que o respeito pelo desporto-rei volte a conquistar o merecido lugar”, afirma o clube da Luz num comunicado que foi lido na Luz pelo Director de comunicação António Cunha Vaz e colocado mais tarde na página oficial do clube na internet.
KARADAS CULPA OLEGÁRIO
Na ressaca do clássico, Azar Karadas responsabilizou o árbitro Olegário Benquerença pela derrota do Benfica. “O árbitro não validou um golo e ficaram dois penáltis por assinalar. O árbitro tirou-nos três pontos. Foi muito mau”, afirmou ontem o avançado norueguês, em conferência de imprensa na Luz.
Karadas explicou os lances em que reclama ter sofrido falta para grande penalidade: “No primeiro, estava à frente de Seitaridis, pronto para rematar, quando fui agarrado. E o segundo foi na marcação de um canto em que sofri falta do Pepe”. O jogador confessou ainda que no seu país as coisas são bem diferentes, com os árbitros a terem menos protagonismo. “Para mim, tudo isto é uma surpresa. Na Noruega não se fala tanto de arbitragem”, disse. Os jogadores titulares ante o FC Porto fizeram ontem corrida e ginásio na Luz e os outros trabalharam no Jamor. O Benfica recebe quinta o Heerenveen para a Taça UEFA.
NO EUROPEU ISTO SERIA IMPENSÁVEL
O general Leonel Carvalho, responsável pela segurança no Euro’2004, garantiu ontem ao CM que a situação que se verificou no clássico, em que quase três mil portistas ficaram num sector do estádio destinado para pouco mais de mil, nunca aconteceria no Euro’2004.
“No Euro, a organização actuava de acordo com as regras da UEFA, enquanto que neste caso os clubes agem de acordo com as regras da Liga. Estas situações são de evitar e é certo que no Euro’2004 nunca aconteceria. Seria impensável. A culpa é dos clubes e seria bom que todos seguissem as regras pré-determinadas. Depois quem sofre as consequências é a PSP que vê a sua tarefa complicada. Mas neste caso estiveram muito bem”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)