Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Bento em económica, atletas em executiva

A exibição e a vitória (3-1) frente à Islândia aumentaram a popularidade de Paulo Bento no seio dos jogadores da Selecção, reforçando a ideia que já criaram sobre o técnico na primeira semana de contacto, antes do embate com a Dinamarca (3-1).
14 de Outubro de 2010 às 00:30
Ronaldo já disse que Paulo Bento está a realizar um “bom trabalho” na selecção nacional
Ronaldo já disse que Paulo Bento está a realizar um “bom trabalho” na selecção nacional FOTO: Paulo Cunha/Lusa

O CM sabe que a alegria foi a nota dominante na viagem de regresso da Islândia, em contraponto com o ambiente mais formal em que decorriam estas deslocações no tempo de Carlos Queiroz. "Os jogadores adoraram a simplicidade de processos do seleccionador", contou uma fonte da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao CM, enumerando outras virtudes que encantaram os jogadores: "É uma pessoa muito frontal e percebe-se tudo o que diz." Ronaldo, aliás, já disse que Bento está a realizar um "bom trabalho" na Selecção.

Também no voo para Reiquejavique, Bento introduziu uma mudança que deixou os jogadores bem impressionados. Havendo apenas lugar para 21 jogadores na classe executiva, sentou-se ele próprio na primeira fila da económica, lado a lado com João Pereira, um dos titulares, e Paulo Machado, estreante. Com Queiroz, eram os jogadores mais jovens e não utilizados a serem relegados para aqueles lugares.

Embora houvesse regras claras, estando os convidados, jornalistas e adeptos impossibilitados de entrar na zona atribuída aos 23 seleccionados, a cortina que separa a executiva da económica esteve sempre aberta. Bento pôs fim também a uma situação que causou muita celeuma na era Queiroz, ao autorizar que o ‘staff’ de apoio à Selecção voltasse a sentar-se à mesma mesa dos dirigentes.

MADAÍL PENSA CONCORRER ÀS ELEIÇÕES

Gilberto Madaíl pensa recandidatar-se à presidência da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), para dar sequência ao trabalho iniciado em Março de 1996, ano em que foi eleito. Em Reiquejavique, esperava-se que o líder federativo anunciasse a sua recandidatura após a vitória sobre a Islândia, que colocou a selecção nacional no segundo lugar do grupo H de apuramento para o Euro’2012. Contudo, mostrou-se hesitante, mas lembrou tudo o que de bom já fez pela FPF e a contratação de Paulo Bento.

Potenciais candidatos, como Fernando Seara, aguardam apenas pela posição de Madaíl para decidirem se avançam. Mas, sabe o Correio da Manhã, o actual presidente da FPF espera apenas confirmar o apoio das associações para anunciar a sua recandidatura.

BAÍA DESCARTA CORRIDA À FPF

Vítor Baía revelou ontem que a sua eventual corrida à presidência da FPF não passou de "pequenas conversas" e que perdeu sentido com a recandidatura iminente de Gilberto Madaíl. "Quem quiser ser presidente tem que ter a certeza absoluta de que vai para vencer e não só para ser candidato", sublinhou o ex-dirigente do FC Porto.

"Basta observar que os dirigentes das principais associações, que à luz dos actuais estatutos são preponderantes na eleição da direcção da FPF, estavam na Islândia com a Selecção. Isto quererá dizer algo importante", observou. Para o antigo internacional, enquanto a FPF não aprovar a alteração aos estatutos, adaptando-os ao novo regime jurídico, "o futebol português irá continuar na ilegalidade".

Questionado sobre um eventual apoio a Madaíl, foi evasivo. "Não me agrada, nem desagrada. Mantém o mesmo sentido, a mesma orientação e a mesma gestão", frisou.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)