Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

"Bruma ainda pode ficar no Sporting"

Catió Baldé é o agente do avançado de 18 anos que resolveu colocar em causa o contrato que assinou até junho de 2014. Diz que o jogador merecia outra atenção de Bruno de Carvalho, que, frisa, o tratou como a qualquer outro
27 de Julho de 2013 às 00:00
catió baldé, sporting, scp, bruma
catió baldé, sporting, scp, bruma FOTO: João Miguel Rodrigues

Correio Sport - Confirma haver, neste momento, uma reaproximação entre si e o Sporting?

Catió Baldé – Não se pode falar disso porque nunca nos afastámos do Sporting. Talvez tenha havido alguns amuos ou choque de orgulhos. Pelo menos da minha parte, porque uma instituição tão grande como o Sporting deve privilegiar os seus interesses e lutar pelos seus direitos.

– Essa reaproximação pode viabilizar o regresso de Bruma ao Sporting ?

- Tenho dificuldade em responder a essa pergunta. Penso que entrámos num terreno que poderia ter sido evitado. Criou-se um espaço propício ao mau ambiente. Todas as possibilidades estão na mesa – Bruma ainda pode voltar ao Sporting, mas não posso garantir que fique.

– Tirou dois jovens da Academia, Moreto Cassamá e Idrissa Sambú. Foi retaliação?

– Nada disso. Alguém do Sporting confessou-me que tinham feito uma retaliação positiva sobre mim. Em meu entender, fizeram uma retaliação negativa. Quem o disse foi Virgílio (diretor para a área de formação dos leões). É a mesma pessoa que andou casa a casa, para exigir aos pais dos meus jogadores para os miúdos deixarem de trabalhar comigo, caso contrário não renovavam.

– Virgílio fez isso com os pais de Bruma?

- Não tenho conhecimento. Refiro-me aos outros miúdos. Eles não sabem qual é a minha relação com eles. O que nos liga do ponto de vista afetivo. Foi uma chantagem intolerável e eu não posso esquecer esse comportamento.

– Os jogadores ficaram todos do seu lado?

– Claro, eu e a família desses jogadores temos uma ligação muito forte. Sabem o que sou capaz de fazer por eles. Houve apenas uma situação diferente com Wilson Manafá, do Sporting B. Ao contrário dos outros, não resultou do meu trabalho de prospeção. Acompanhava-o a pedido dos pais. Estes explicaram-
-me a situação e eu disse ao miúdo para seguir em frente e não se prejudicar por minha causa. No entanto, a situação que mais me magoou foi outra...

– A que situação se refere ?

– O Sporting transmitiu-me o desejo de renovar contrato com alguns dos meus jogadores, mas deu total prioridade ao Ruben Semedo, um central júnior
sub-19 a quem prevejo grande futuro. Disseram-me que ele renovava num dia e os outros no dia seguinte. Só que assim que seguraram o Ruben, esqueceram-se do acordo. Até o acordo que me assegurava 10 por cento do valor do passe do jogador, numa futura venda, ficou sem efeito. Simplesmente não cumpriram e ignoraram-me. Fiquei chocado porque me senti usado e enganado.

– Nessa altura, Bruma já tinha pedido a rescisão ?

– Não, e é isso que me surpreende. Se queriam tanto renovar com Bruma, então não defenderam bem os seus interesses.

– Chegados a este ponto, o pedido de rescisão de Bruma também não foi uma retaliação da sua parte?

– Não retaliei, mas também não sou parvo. Percebi que não estavam a lidar comigo de boa-fé. Em relação a Bruma, acho que foi subestimado pelo Sporting. Talvez não acreditassem no crescimento dele em tão pouco tempo. Foi uma decisão pessoal dele. Entusiasmou-se com as propostas que lhe foram chegando de outros clubes. Claro que se aconselhou com várias pessoas antes de dar indicação ao seu advogado [Bebiano Gomes] para avançar com o pedido de rescisão.

– A sua mágoa com Virgílio pesou ou não ?

– Nós sabíamos que o Sporting não podia pagar o mesmo que outros clubes propunham ao Bruma. No entanto, queríamos que, ao menos, se aproximasse um pouco. Mas o presidente [Bruno de Carvalho] foi inflexível. Olhou para Bruma como outro qualquer jovem do plantel. É verdade que o Bruma tem muito para aprender. Porém, pela qualidade do seu futebol, merecia outra atenção.

– Bruma é acusado de ingratidão e preveem que ele interrompa o seu crescimento futebolístico se sair...

– Ingratidão? Sabe por que é que ele cortou com a família Zahavi? Porque achou que estavam a ter demasiadas discussões e a fazer afrontas ao Sporting. Era uma forma de facilitar o acordo. Eu levei-o até eles com a melhor das intenções, porque admiro a estrutura que têm montado.

– Está ultrapassada a questão com o empresário israelita Pini Zahavi ?

– Claro que eles não gostaram do que aconteceu e prometem não ficar por aqui. Mas Bruma é um miúdo de 18 anos, não se sentiu cómodo, pesou várias situações e disse-me frontalmente que não gostou do facto de o ter deixado com outras pessoas.

– Entre os clubes interessados está algum grande português?

– Não vou falar desse tema antes de conhecer a decisão da Comissão Arbitral Paritária.

– Está seguro de que o contrato que Bruma assinou com o Sporting até junho de 2014 é ilegal?

– Bruma tem um advogado e é ele que deve falar das questões jurídicas do contrato.

PERFIL

Catió Baldé nasceu no dia 15 de janeiro de 1964 (49 anos), em Bissau (Guiné). É empresário e vive em Portugal desde 1984, mas já exercia as mesmas funções no seu país natal. Lay, antigo jogador do FC Porto (juniores) e Tirsense, foi a sua primeira transferência em Portugal. Representou, entre outros, Forbs (ex-Sporting e ex-Sp. Braga) e Toni (ex-FC Porto). É o agente de Bruma e de algumas dezenas de jovens espalhados por Sporting, Benfica, Sp. Braga e clubes ingleses.

catió baldé sporting scp bruma
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)