Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Bruno de Carvalho: "Acho que os sportinguistas deviam pedir uma AG para eu voltar"

Antigo presidente do Sporting considera que "mexeu com muitos interesses" relacionados com o futebol português, durante o seu mandato, e que tudo o que se passou no seio dos "leões" aconteceu por ser inocente.
28 de Maio de 2020 às 20:45
Bruno de Carvalho é arguido
Bruno de Carvalho
Bruno de Carvalho é arguido
Bruno de Carvalho
Bruno de Carvalho é arguido
Bruno de Carvalho
O antigo presidente do Sporting Bruno de Carvalho considera que "mexeu com muitos interesses" relacionados com o futebol português e que tudo o que se passou no seio dos "leões" aconteceu por ser inocente. "Era impensável em clubes como o Benfica ou o FC Porto acontecer o que aconteceu", disse numa entrevista à TVI, esta quinta-feira.

"Como cidadão, fiquei completamente horrorizado com o que aconteceu em Alcochete, mas também fiquei horrorizado com o que aconteceu em Guimarães uns meses antes", acrescentou, dizendo que este segundo caso foi ignorado pelo País e pelas autoridades. 

Durante a entrevista, BdC defendeu, ainda, que considera que a leitura do processo "não é o fim de nada". "Infelizmente, é o início de qualquer coisa. Isto foi tão pesado. Estes dois anos foram tão pesados, para mim e para a minha família. Foi um assassinato de caráter tão grande que esta decisão não elimina tudo", confessou, acrescetando: "Enquanto cidadão, enquanto pai e enquanto filho não tenho esse sentimento de que foi feita justiça Foi um assassinato de caráter tão grande que vai demorar a resolver".

"Acho que os sportinguistas deviam pedir uma assembleia-geral para eu voltar", defendeu também quando questionado sobre a sua relação com o clube - "que amo", disse -, de que foi expulso numa reunião magna convocada pelos sócios do Sporting para o efeito. Para Bruno de Carvalho, o diretor da segurança da Academia de Alcochete devia ter-se demitido na sequência das agressões. 

O ex-dirigente dos "leões" foi, esta quinta-feira, absolvido de todos os crimes, incluindo a autoria moral, no caso da invasão à Academia de Alcochete, em que vários jogadores e elementos técnicos da equipa de futebol sénior do Sporting foram agredidos por um grupo de adeptos.  

Na leitura do acórdão, que decorreu no tribunal de Monsanto, em Lisboa, o coletivo de juízes, presidido por Sílvia Pires, considerou que não foram provados factos contra Bruno de Carvalho, que liderou os "leões" entre 2013 e 2018. Igual conclusão tiveram sobre o líder da claque Juventude Leonina, Nuno Mendes, conhecido por Mustafá, e sobre o ex-Oficial de Ligação aos Adeptos (OLA) do clube Bruno Jacinto, que, tal como o antigo presidente, estavam acusados da autoria moral da invasão.

Já nove dos arguidos do processo foram condenados a prisão efetiva e 29 a penas suspensas, por crimes de ameaça agravada e ofensa à integridade física. O coletivo de juízes absolveu ainda todos os arguidos do crime de sequestro e terrorismo, uma vez que tinham um alvo definido, sem interferirem com a paz pública.

O antigo líder da claque Juventude Leonina Fernando Mendes e outros oito arguidos foram condenados a cinco anos de prisão efetiva, 29 foram condenados a penas entre três anos e seis meses e quatro anos e 10 meses, suspensas por cinco anos, enquanto três foram condenados a penas de multa.

O processo do ataque à Academia - onde, em 15 de maio de 2018, jogadores e equipa técnica do Sporting foram agredidos por adeptos ligados à claque 'leonina' Juve Leo -, tinha 44 arguidos, acusados de coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Todos os arguidos aguardavam a leitura do acórdão em liberdade - alguns com termo de identidade e residência, apresentações semanais e proibição de frequentarem recintos desportivos -, depois de muitos terem estado em prisão preventiva.

futebol desporto Juventude Leonina Academia de Alcochete Sporting Benfica FC Porto TVI AG Bruno de Carvalho
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)