Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Bruno Lage: "Quero a responsabilidade em cima de mim e apoio total aos jogadores"

Técnico do Benfica diz que esta equipa dá garantias no presente e no futuro.
Record 1 de Outubro de 2019 às 18:16
Bruno Lage
Bruno Lage
Na antevisão ao encontro com o Zenit, Bruno Lage lembrou que todos os jogadores estão preparados para a Liga dos Campeões, daí ter lançado Tomás Tavares frente ao Leipzig. O técnico sadino diz ainda que a equipa lhe dá garantias no presente e no futuro.

Como é que analisa esta equipa do Zenit? É uma equipa que usa vários sistemas.

Para além dos vários sistemas, também a forma como tira partido das características do seus jogadores. É uma equipa que gosta de jogar, com ligações, posicionamento interessante e a tirar partido do jogo direto. O mais importante é a nossa evolução enquanto equipa e perceber o que pode surgir no nosso adversário. Temos de preparar a melhor forma o jogo, escolher o melhor onze e fazer um grande jogo para vencer que é o nosso grande objetivo.

"Vai ser uma Champions à altura do Benfica". Esta frase é sua. Vai começar amanhã?
É a nossa intenção. Antes de chegarmos aqui já temos quatro intervenções noutros momentos. É repetir o mesmo. Sempre com enorme sentido de responsabilidade, independentemente da competição. A equipa que jogar tem de ter essa responsabilidade: jogar para vencer. Estamos muito motivados. Reforço o que se tem falado nas últimas duas semanas. Estamos sempre a preparar o futuro e temos no presente uma equipa que nos dá garantias no presente e no futuro com enorme responsabilidade e sabem da dimensão que o clube tem na Europa.

Este início de temporada tem sido marcado por lesões. Está preocupado?
Temos consciência do trabalho que estamos fazer e depois perceber as razões pelas quais isso acontece. Temos tudo sob controlo, mas é de lamentar qualquer ausência. Quantos mais jogadores disponiveis, mais soluções teremos para sermos mais fortes.

Nos jogos mais complicados fez alguns ajustes, principalmente no ataque. Vai ajustar frente ao Zenit?
Não é nos jogos mais complicados, é sempre que sentimos que temos essa necessidade. Em função da características dos jogadores e da nossa análise, olhamos para alas, avançados, laterais... a ideia é ter um plantel competitivo para as competições e internamente para ter soluções diferentes e não apenas para o ataque.

Vamos esperar uma equipa mais 'mandona' sempre à procura da vitória? Está mais pressionado?
Queremos sempre ser uma equipa mandona. A nossa característica é essa: ter o controlo do jogo e ter bola. Quando não o fazemos é em função da força do adversário. A nossa intenção é ter bola e procurar as nossas oportunidades de golo. Exijo sempre a máxima responsabilidade aos jogadores, tal como o Benfica exige de mim a responsabilidade máxima para representar o Benfica. Estou ciente disso. Por isso é que o Tomás [Tavares], um miúdo de 18 anos que nunca jogou na equipa B, tirando este, ano fez aquele jogo na Liga dos Campeões porque está identificado com a responsabilidade do Benfica. Eu quero em cima de mim responsabilidade e apoio total aos meus jogadores.
Ver comentários