Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

CAJUDA CONFIRMA-SE A BESTA NEGRA DE BÖLÖNI

Perante um Sporting incapaz de esconder o trauma de há muito não vencer em Alvalade, cedo se percebeu que a equipa de Cajuda estava em campo para ganhar e esteve perto de o conseguir. Valeu ao Sporting o talento de Ronaldo que saltou do banco e inventou um golo apontado por Toñito. Mas a exibição, globalmente, foi decepcionante, a UEFA está a dois pontos e o Benfica antecipou a entrada na pré-eliminatória da Liga dos Campeões.
13 de Maio de 2003 às 00:06
Ontem, o Sporting foi sempre uma equipa previsível nas suas acções e tremendamente dependente da sua unidade em melhor rendimento; Ricardo Quaresma.
Aliás, mesmo o golo inaugural de Maciel – é soberbo e inteligente o trabalho de Silas – apenas surpreendeu os mais desatentos, tal a volumetria ofensiva que os forasteiros evidenciavam. Por outras palavras: ao invés de um Sporting lento e aos tropeções, a União mostrava serenidade quanto baste para causar perigo junto da baliza de Nélson com uma facilidade assustadora. Silas, suportado pelo labor de Aguiar e João Manuel, dominava o ‘miolo’ e assim encostava o Sporting para terrenos recuados.
Incapaz de reagir com objectividade – Sá Pinto nunca pegou no jogo e o ataque, com Kutuzov e Niculae, foi engolido pelos ‘centrais –, foi preciso esperar pelo reatamento para Niculae obrigar Helton a brilhar. Era então altura de Bölöni apostar tudo e a verdade é que a entrada de Ronaldo revelou-se determinante, acrescentando vivacidade ao ataque leonino, órfão de Jardel, por opção do romeno.
Há quase três meses que o Sporting não vence em casa.
BENFICA JÁ ESTÁ NA CHAMPIONS
O Benfica foi ontem o grande beneficiado com o empate do Sporting ante a União de Leiria, garantindo já a sua presença na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Desta forma, está alcançado, para os ‘encarnados’, o grande objectivo desde a chegada de Camacho ao clube. Agora sim, a renovação do espanhol pode avançar.
Entretanto, Manuel Cajuda, técnico da União de Leiria, saiu de Alvalade descontente com o ponto conquistado. Para o treinador leiriense, a sua equipa justificou o triunfo: “Tenho, felizmente, uma equipa que joga muito bem. Hoje (ontem) fomos sempre a melhor equipa dentro das quatro linhas e merecíamos ter saído daqui com os três pontos”, referiu , elogiando o trabalho dos seus jogadores: “Pelo que fizeram, a vitória seria o resultado normal neste jogo. Jogámos sempre com três avançados, apesar de defrontarmos o Sporting”. Já Bölöni revelou uma leitura diferente do jogo. “Faltou-nos concretizar uma ocasião para marcar primeiro, apesar de termos desperdiçado oportunidades. Faltou inspiração e força. Depois, a perder, foi mais difícil mas na segunda parte o Sporting dominou e teve muitas oportunidades para virar o marcador”, disse o romeno. “Agora, espero que nas próximas três jornadas consigamos os pontos necessários para chegar à Taça UEFA”. Bölöni, mesmo confrontado, optou por não tecer qualquer consideração quanto ao facto de ter preterido Mário Jardel dos convocados: “Só falo sobre os que estão aqui”, disse o romeno.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)