Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Calcanhar foi há 25 anos

Foi um dos momentos mais vibrantes da história das finais europeias e do futebol português: uma bola metida na área do Bayern Munique, após jogada envolvente de Frasco, foi encontrar Madjer aparentemente desenquadrado com a baliza.
26 de Maio de 2012 às 15:00
Mal enquadrado com a baliza do Bayern, Madjer improvisou um toque de calcanhar que é, ainda hoje, um dos golos mais geniais da história das finais europeias.
Mal enquadrado com a baliza do Bayern, Madjer improvisou um toque de calcanhar que é, ainda hoje, um dos golos mais geniais da história das finais europeias. FOTO: direitos reservados

Estava de costas, teria de fazer a rotação e atirar, numa fracção de segundo, antes dos defesas bávaros lhe estorvarem a acção. Mas o argelino, segundo ele mesmo disse, inspirado por Alá, resolveu improvisar e num golpe de genialidade rematou de calcanhar, de primeira, sem olhar. Um golo também de desprezo para com a sobranceria germânica. Para eles, a final da Liga dos Campeões de 1987 seria apenas uma formalidade.

Este momento mágico aconteceu há 25 anos (faz amanhã, dia 27 de Maio). Um quarto de século. No Estádio Prater, em Viena (Áustria), FC Porto e Bayern discutiam a final da Taça dos Campeões (agora Liga).

Após uma primeira parte em que os jogadores da equipa portuguesa foram subjugados mais pelo medo do adversário do que pelo futebol que jogavam (ao intervalo o Bayern ganhava por 1-0), a reviravolta aconteceu a 13 minutos do fim, no referenciado lance genial de Madjer. Nessa altura, o FC Porto já dominava claramente e, no auge do empolgamento, apenas dois minutos depois do 1-1, Juary fazia o segundo, após mais uma excelente jogada de Madjer. E a Taça dos Campeões veio para Portugal.

FC Porto Madjer Bayern Munique Taça dos Campeões Europeus Juary
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)