Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Camacho triste no Benfica

Os reforços, mais do que qualquer outro motivo, é a questão que poderá perturbar a relação entre Luís Filipe Vieira e José Antonio Camacho. Pelo menos, a nível profissional.
22 de Janeiro de 2008 às 00:00
Quando aceitou o convite para substituir Fernando Santos, a amizade falou alto, assim como as manifestações de carinho dos adeptos. Só mesmo o espírito de missão em Madrid, onde o clube de toda a vida dizia precisar dele, levou o técnico espanhol a deixar a Luz, mas o desejo de voltar nunca se desvaneceu.
No entanto, desde a chegada que Camacho sentiu que o ambiente à sua volta não era o mesmo. Primeiro, ao sentir-se julgado após os primeiros jogos, numa altura em que vários jogadores se encontravam lesionados, a ponto de lançar um júnior (Miguel Vítor) em São Siro, frente ao Milan, em plena Champions.
Por essa altura, Camacho sonhava ainda com os reforços que haveriam de chegar, pedidos após diagnóstico ao plantel. Em poucos dias, tinha detectado lacunas em termos de movimentação em Cardozo, um avançado demasiado estático para o seu gosto e, em Bergessio, nunca viu qualidade para lutar por um lugar no ataque. Pediu, por isso, Roberto Soldado, para marcar os golos que teimavam em não entrar, e Chelito Delgado, para jogar mais pelas alas. Ambos ‘escaparam’. Também indicou Tiago, mas alguém se esqueceu de avisar que o português aufere anualmente três milhões de euros na Juve, à média de 250 mil euros/mês. E quando lhe falaram das dificuldades de renovação com Léo, propôs à SAD que trouxesse o brasileiro Gilberto. Outro que deixou de ser hipótese.
O treinador, que já se lamentara de ter encontrado “uma equipa feita”, não montada por ele, passou a não esconder internamente a sua preocupação pela ausência de reforços, apesar de para o exterior tentasse transmitir outra tranquilidade. O desencanto existe e só a qualidade dos reforços que vierem poderá devolver o sorriso a Camacho.
ÁLVARO TEME OS "CALADINHOS"
Álvaro Magalhães, ex-adjunto de José Antonio Camacho, na sua primeira passagem pelo Benfica, sai em defesa de Camacho, contra aqueles que apontam o dedo ao treinador, por criticar as últimas exibições dos seus pupilos. “O treinador é que trabalha diariamente com os jogadores, é ele, melhor que ninguém, quem sabe o que se passa lá dentro e que medidas deve adoptar.” Lembrando que José Antonio Camacho sempre foi um homem frontal, Álvaro Magalhães acrescentou: “Trabalhei com Camacho e sempre o conheci assim. Pelo que conheço da sua personalidade, se disse aos jornalistas na sala de imprensa que os jogadores revelaram desmotivação, é porque já lhes tinha dito isso no balneário. Ele é assim.”
O ex-adjunto não vê razões para críticas às palavras do treinador. “Ele defende sempre os jogadores. Piores são os caladinhos, desses é que devem ter medo”, alertou.
JOÃO ALVES ELOGIA O PLANTEL ENCARNADO
A crise de resultados e a intranquilidade que se está a gerar entre os benfiquistas não passam despercebidas aos adversários. No próximo sábado, a equipa da Luz terá pela frente a sensação da Liga, Vitória de Guimarães, que ascenderá ao 2.º lugar, em caso de vitória. O médio João Alves, não fugiu a comentar as palavras de José Antonio Camacho, a propósito da atitude dos seus jogadores. “Camacho terá as suas razões para dizer o que disse, mas da nossa parte, sabemos que o Benfica tem um excelente plantel, com grandes jogadores”, garantiu o pupilo de Manuel Cajuda, que acrescentou no entanto: “É verdade que o Benfica vive uma fase menos boa.”
Talvez por isso, João Alves mostrou-se confiante na vitória, que permitiria à sua equipa ultrapassar os encarnados e colocar-se na zona de acesso à Liga dos Campeões. “Temos uma boa equipa e acreditamos que podemos fazer um bom jogo e um resultado positivo no sábado”, considerou João Alves.
APONTAMENTOS
TREINO ÀS 10H00
Após gozar, ontem, o dia de folga concedido por José Antonio Camacho, o plantel do Benfica regressa esta manhã, às 10h00, aos treinos, na Caixa Futebol Campus. Será altura de avaliar a situação de vários jogadores que acusaram mazelas e não se treinaram na véspera.
ESPANHA QUER KATSO
Katsouranis continua a ser falado em Espanha, como provável reforço do Atlético de Madrid. Após a derrota com o Real Madrid, o técnico Javier Aguirre admitiu que a equipa necessita de reforços e o jogador encarnado é, juntamente com Sissoko, do Liverpool, candidato a suceder Maniche.
FILHO TRAMA PAI
Nas camadas jovens, os juniores, orientados por João Alves, foram a única equipa a não vencer, empatando a duas bolas com o Atlético. Como curiosidade fica o facto de o treinador da equipa alcantarense, Carlos Alves, ser filho do técnico da formação encarnada.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)