Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Campeão está a subir

Rui Barros terá feito ontem o seu último jogo à frente da equipa do FC Porto, mas conquistou a segunda vitória: depois de Portsmouth (2-1), agora foi o Manchester City (1-0) a cair perante o campeão português, que está a melhorar o seu comportamento e ganhou ontem o Troféu Thomas Cook que estava em discussão.
13 de Agosto de 2006 às 00:00
O extremo portista Alan tenta fugir a três adversários do Manchester City
O extremo portista Alan tenta fugir a três adversários do Manchester City FOTO: Amândia Queirós, Record
Curiosamente ou não, numa das primeiras vezes esta época em que a equipa marcou um canto directamente para a área – Raul Meireles – marcou golo, num desvio de cabeça de Adriano. Até aqui, quase sempre os cantos eram marcados à maneira curta. E poucas vezes, diga-se, nos últimos tempos, o FC Porto marcou golos na sequência de cantos.
O golo, que chegou sobre o intervalo, deu ao FC Porto uma boa vitória perante uma equipa com bons jogadores (Vassel, Samaras, Distin, Dickov) e que também criou boas oportunidades, como o tiro de Samaras, ao poste, logo após o intervalo. Mas o FC Porto foi normalmente mais dono do jogo, teve mais cantos, mais remates e melhores combinações ofensivas.
Num jogo marcado por uma lesão de Pedro Emanuel no aquecimento, Rui Barros voltou a insistir no 3x4x3, desta vez com Sektioui e Quaresma nas alas e Adriano em ponta. Uma equipa provavelmente muito próxima da que irá defrontar o Setúbal no próximo sábado para a Supertaça com a possível troca de Ibson por Lucho, se já estiver em condições. Paulo Assunção já atingiu um bom momento, tal como Cech, e no seu estilo-Adriaanse o FC Porto foi tecendo o jogo até marcar. Alguns erros defensivos individuais podiam ter permitido o empate do Manchester, mas a ilação a tirar é a melhoria gradual da equipa.
FICHA DO JOGO
Local: estádio Cidade de Manchester (20 375 espectadores)
Árbitro: Andre Marriner
MANCHESTER CITY: Weaver, Richards, Thatcher, Dabo, Onuoha, Distin, Reyna, Barton, Vassell, Corradi e Samaras. Jogaram ainda: Joe Hart, Mills, Dickov e Miller. Treinador: Stuart Pearce.
FC PORTO: Helton, Bosingwa, Pepe, Marek Cech, Paulo Assunção, Raul Meireles, Ibson, Tarik, Anderson, Quaresma e Adriano. Jogaram ainda: Lisandro, Alan, Vieirinha, Jorginho e Ricardo Costa. Treinador: Rui Barros.
Marcador: 0-1, Adriano (42m)
Acção disciplinar: Nada a assinalar.
'PRESSING' PORTISTA POR JESUALDO
O ‘namoro’ do FC Porto a Jesualdo Ferreira segue... em banho-maria, com a discussão restringida aos máximos responsáveis dos clubes envolvidos no processo. Pinto da Costa e João Loureiro, depois do impacto mediático que nos últimos dias elevou o treinador a figura de primeira plano do futebol luso e, diga-se, logo motivou as primeiras ondas de contestação – houve insultos no treino que antecedeu a partida do Boavista para Inglaterra – assumiram por inteiro a gestão das negociações e ontem mesmo terão voltado a abordar o tema.
Apesar do forte interesse em Jesualdo, os ‘dragões’ não estão disponíveis para perpetuar a ‘novela’. Isso mesmo terá sido ontem comunicado a João Loureiro.
Jesualdo, esse, remeteu-se ao silêncio – ontem nem sequer compareceu na conferência de Imprensa após o particular frente ao Fulham (1-1) – enquanto aguarda por definições, admitindo-se que o regresso a Portugal possa revelar-se determinante para o desfecho de um processo que importa, a todas as partes, definir tão rápido quanto possível.
Face à posição do Boavista, o FC Porto joga pelo seguro, movendo-se já noutras direcções. E aí, o argentino Pekerman surge na primeira linha de alternativas a... Jesualdo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)