Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Campeão volta a sofrer

O campeão teve outra vez de sofrer para ganhar. Venceu a Académica por 2-1 depois de ter sofrido o empate aos 77’, mas Pepe, de cabeça, na sequência de um canto, deu a vitória ao FC Porto a seis minutos dos 90. Os três golos aconteceram na segunda parte, ganhou a equipa que fez por isso, mas que não soube matar o jogo quando devia.
19 de Novembro de 2006 às 00:00
Não começou bem o FC Porto, desta vez com Raul Meireles a trinco e Jorginho e Lucho a construírem o jogo. Mas no fim da primeira parte já tinha tido oportunidades suficientes para estar a vencer, mas não era o dia de Lisandro Lopez. Em especial aos 25’, quando de cabeça permitiu a defesa de Pedro Roma e na recarga acertou outra vez no guarda-redes, que ainda desviou a bola contra o poste.
A Académica aparecia organizada, mas sem profundidade. Alguns bons jogadores (Lino, por exemplo) mas dificuldade em conseguir levar a bola à área de Hélton. Aliás, mais uma vez – como aconteceu com o Benfica –, o FC Porto, ao fim de 60/70’, tinha acumulado grande desgaste e depois foi preciso ir buscar forças onde já parecia não as haver.
Ao intervalo, Jesualdo tirou Jorginho e colocou Bruno Morais, dando um tom mais ofensivo. O golo chegou pouco depois, na sequência de uma boa jogada que terminou com um cruzamento de Quaresma para Postiga, isolado, bater de cabeça Pedro Roma. Postiga estava ligeiramente adiantado no momento do passe, mas tão ligeiramente que quase não é erro do assistente.
O FC Porto resolveu gerir a bola, entrou Ibson e saiu Lisandro para repor os equilíbrios, Postiga e Quaresma podiam ter marcado, mas foi a Académica a igualar, num passe de Dame N’Doye para Néstor Alvarez, que fez bem o movimento sobre Pepe e chutou por baixo de Hélton.
O estádio emudeceu, ouviu-se a claque da Académica (sempre ruidosa), mas o segundo golo chegou num canto de Quaresma directo à cabeça de Pepe, que colocou a bola no canto, sem hipóteses – o erro foi na marcação, porque o central saltou sozinho. Um final feliz, outra vez com um golo nos últimos minutos, como já tinha acontecido com o Benfica.
MOMENTOS DO JOGO
- Minuto 44: Hélder Postiga, em posição de fora-de-jogo, faz o primeiro golo portista.
- Minuto 77: Néstor Alvarez, que entrara há 20 minutos, consegue igualar a partida.
- Minuto 84: Pepe, sozinho na área da ‘Briosa’, faz de cabeça o segundo para os ‘dragões’.
POSITIVO: QUARESMA E LINO
Bom duelo entre Quaresma e Lino, quando o extremo jogou no lado direito. O portista esteve nos dois golos, o brasileiro da Académica mostrou que tem valor. Bom jogo ainda de Pepe (golo de três pontos) e de Postiga, enquanto Pedro Roma brilhou muito na baliza da Académica, com defesas importantes perante Lisandro e Quaresma. Dame, irmão de N’Doye, tem qualidades.
NEGATIVO: LISANDRO LOPEZ
O argentino FC Porto às vezes marca sem querer, outras, como ontem, mesmo a querer muito não consegue. Aquele golo feito aos 25’, em que chutou duas vezes contra Pedro Roma, é um sinal. Hélton também pareceu algo mal batido no golo. Na Académica, os defesas aguentaram muito tempo, mas não dão para tudo. Roberto Brum devia ter jogado num raio mais largo de campo.
"TIVEMOS SEMPRE O CONTROLO"
Nem o golo do empate da Académica apontado por Néstor a poucos minutos do final retirou a convicção de Jesualdo Ferreira na vitória. “Na segunda parte, a equipa teve sempre um grande controlo do jogo, fruto de um posicionamento muito bom. Criámos ocasiões para marcar. O golo da Académica não perturbou a equipa”, afirmou o técnico portista no final do jogo, reconhecendo que a sua equipa “venceu com toda a justiça mas sem ser brilhante”.
O autor do golo da vitória, o brasileiro Pepe, confessou que já esperava um adversário difícil, mas a equipa “soube reagir bem ao golo”. Sobre uma eventual chamada à selecção nacional ventilada na Comunicação Social portuguesa nas últimas semanas, Pepe foi peremptório: “Já disse que estou disponível.” O defesa mostrou-se ainda lisonjeado com o interesse da Juventus, mas reconheceu estar “feliz no FC Porto”. “É sempre bom o meu nome estar a ser falado na Europa.”
APONTAMENTOS
COREOGRAFIA
Antes do jogo, houve uma coreografia especial no relvado do Dragão, com bandeiras todas elas em tons de azul. Em cada bandeira constava a foto de um jogador e os elementos que as levavam delinearam no relvado a disposição da equipa.
COLECTIVO
Após a saída de Jorge Costa do FC Porto, o Colectivo, uma das claques portistas, ostentava sempre em cada jogo uma tarja com o nome do capitão. Mas ontem a mesma não foi vista na bancada. O ex-central é agora adjunto no Sp. Braga...
OLHEIROS
Foram muitos os clubes que solicitaram credencial para o jogo de ontem. Do estrangeiro vieram Tottenham, Saint-Étienne, Chievo, Inter e Valladolid, enquanto os portugueses presentes foram Boavista, Sp. Braga, Beira-Mar e D. Aves.
FICHA DO JOGO
Local: Estádio do Dragão, no Porto (30 207 espectadores)
Árbitro: Paulo Paraty (Porto)
FC PORTO: Helton, Bosingwa, Pepe, Bruno Alves, Marek Cech, Raúl Meireles (Alan, 80m), Jorginho (Bruno Moraes, 46m), Lucho Gonzalez, Ricardo Quaresma, Lisandro Lopez (Ibson, 54) e Hélder Postiga. Treinador: Jesualdo Ferreira
ACADÉMICA: Pedro Roma, Nuno Luís, Kaká, Litos, Lino, Roberto Brum (Paulo Sérgio, 63m), Pavlovic, Hélder Barbosa (Nestor Alvarez, 57m), Dame, Filipe Teixeira (Sarmento, 63m) e Miguel Pedro. Treinador: Manuel Machado
Marcador: 1-0, Hélder Postiga (49m); 1-1, Néstor Alvarez (77m); 2-1, Pepe (84m)
Acção disciplinar: Amarelos: Pavlovic (23m), Pepe (44m), Dame N’Doye (87m)
Melhor jogador: Quaresma
Ver comentários