Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Caso Queiroz divide comitiva

Carlos Queiroz tem previsto chegar amanhã a Oslo para assistir ao jogo com a Noruega, à semelhança do que já fizera em Guimarães, quando Portugal defrontou o Chipre.
6 de Setembro de 2010 às 00:30
A selecção nacional treinou de manhã no estádio 1.º de Maio, em Braga, rumando ao início da tarde para a Noruega. Agostinho Oliveira conversou com os jogadores antes da sessão
A selecção nacional treinou de manhã no estádio 1.º de Maio, em Braga, rumando ao início da tarde para a Noruega. Agostinho Oliveira conversou com os jogadores antes da sessão FOTO: Hugo Delgado/Lusa

Apesar de ter revelado que iria viajar para o país escandinavo no mesmo avião da equipa, pagando do seu próprio bolso o bilhete, o seleccionador fez marcha-atrás por não pretender ser visto como factor de desestabilização. Muito menos ainda após o desastroso empate com o Chipre e de a Comunicação Social ter insistido em que esteve em permanente contacto telefónico com a seu adjunto, José Guilherme, ao longo da partida.

Contudo, o CM apurou que o seleccionador está mesmo disposto a levar a sua guerra com a FPF até "lavar a honra" e irá continuar a acompanhar de perto os jogos da equipa.

Eram 19h45 locais quando a comitiva chefiada pelo ‘vice’ Amândio de Carvalho chegou a Oslo, da mesma forma que deixou o Porto: em silêncio, não tendo nenhum elemento, jogador ou dirigente, prestado declarações.

Não obstante as preocupações de Carlos Queiroz, o CM sabe que a intranquilidade está instalada no grupo de trabalho e o resultado de sábado em nada ajudou a melhorar esta estado de ânimo.

Apesar do pacto de silêncio estabelecido entre os jogadores, que só vão falar de questões relacionadas com os jogos – evitando abordar este caso – as hostes estão divididas e se os atletas se mostram mais comedidos, alguns dirigentes e funcionários da Federação ameaçam sair se Carlos Queiroz for readmitido como seleccionador. "É normal que os jogadores se sintam intranquilos", admitiu uma fonte contactada pelo CM, mostrando-se confiante num bom resultado amanhã, "que levantaria o moral à equipa".

"ESTAMOS DE CABEÇA ERGUIDA"

O empate com o Chipre (4-4) já é passado. É desta maneira que Liedson quer pensar, tendo em vista a Noruega: "É preciso esquecer o que se passou. Estamos todos tristes, mas de cabeça erguida. O grupo não se abateu."

Queiroz está suspenso e o público longe da equipa. Razões para instabilidade? "Não pensamos no ‘extra-campo’. Vamos trabalhar para fazer um bom jogo e procurar os três pontos", acrescentou o avançado.

LUIS ARAGONÉS MAIS PERTO DE PORTUGAL

Luis Aragonés está a um pequeno passo de se tornar o próximo seleccionador português, avançam os espanhóis do ‘20 minutos.es’.

De acordo com o site espanhol, a Federação Portuguesa de Futebol já terá entrado em contacto com o técnico espanhol, de 72 anos, antes do Mundial de 2010. Em Agosto, o acordo terá ficado fechado numa outra reunião, faltando apenas a rescisão com Carlos Queiroz.

A suspensão de seis meses a Queiroz e o empate com o Chipre (4-4) reacenderam o interesse no treinador espanhol. Luis Aragonés, ex-seleccionador da ‘Roja’, responsável pela conquista do Europeu de 2008, sempre se mostrou disponível para orientar Portugal. O mexicano Javier Aguirre é outra das possibilidades para o cargo.

EMBARQUE LONGE DE ADEPTOS

A comitiva portuguesa viajou na tarde de ontem para Oslo, onde amanhã disputa o segundo jogo da qualificação para o Europeu 2012. Jogadores e staff entraram pela zona VIP, longe da quase dezena de adeptos que não se cansou de gritar pelo nome dos seus ídolos.

Será, no entanto, injusto falar numa fuga dos internacionais lusos a eventuais críticas populares, após o desolador empate (4-4) com o Chipre. Até porque, à excepção do último treino antes da partida com os cipriotas, todas as sessões orientadas por Agostinho Oliveira foram abertas ao público.

O mesmo aconteceu na manhã de ontem, no estádio 1º de Maio, em Braga, onde estiveram mais de cem apoiantes que aproveitaram o domingo para acompanharem de perto os jogadores da equipa de ‘todos nós’. Por várias vezes foram ouvidos aplausos – principalmente quando foi treinada a finalização – e, no final, alguns dos atletas deslocaram-se até à rede separadora para distribuírem autógrafos.

A Selecção chegou ao aeroporto 40 minutos antes do voo (partiu às 15h00) e, primeiro, a comitiva até se deslocou à zona das partidas, mas, imediatamente, a segurança deu indicações para que optasse pela zona VIP. De longe, adeptos berravam por Quaresma, Bruno Alves e Raul Meireles.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)