Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Catedráticos no tempo extra

A Académica chega aos ‘quartos’ da Taça depois de passar (5-2) no exame de Matosinhos. Os estudantes só foram catedráticos no prolongamento, fase em que marcaram três golos e colocaram a nu as fragilidades defensivas de um rival que jogou sempre olhos nos olhos.
5 de Dezembro de 2011 às 01:00
Moisés e Marinho num interessante duelo nas alturas
Moisés e Marinho num interessante duelo nas alturas FOTO: José Coelho/Lusa

Os matosinhenses entraram organizados, criaram ocasiões de golo, incluindo remates ao poste, mas acabaram batidos pela ingenuidade do seu guarda-redes, que calculou mal a trajectória de um livre de Adrien Silva. Dois minutos depois, o médio Jumisse apagou o erro do colega com um cabeceamento letal, fazendo os locais acreditar no segundo golo, que chegaria num penálti batido por Paulo Tavares, no 2º tempo.

Com a bola a queimar nos pés dos estudantes, e os nervos à flor da pele de Pedro Emanuel, que não queria acreditar na vantagem do Leixões, foi o insuspeito Fábio Luís quem deu o peito às balas, fabricando o golo da igualdade. Insuspeito porque Fábio Luís tinha saltado do banco de suplentes no minuto anterior e porque a maré do jogo parecia favorável aos locais.

Só no prolongamento é que a Académica conseguiu um verdadeiro ascendente sobre o rival do escalão secundário, graças ao fervor de Adrien Silva e Fábio Luís, que voltaram a facturar, e de Éder, que marcou no fim. O Leixões foi o 3º rival derrubado pela Briosa no caminho para os quartos-de-final da Taça, depois de Oriental (1-0) e FC Porto (3-0). 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)