Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Chaíça dá título e perde 40 mil euros

A época natalícia é propícia a milagres... e à solidariedade. E foi precisamente uma lição de solidariedade e de amizade que Alberto Chaíça, o melhor maratonista português da actualidade com um quarto lugar no Mundial e um oitavo posto nos Jogos Olímpicos de Atenas, deu ao correr 41 km – sem o cachet de 40 mil euros – para ajudar o seu amigo Eusébio Rosa a concretizar o sonho de voltar a ser campeão nacional de maratona.
7 de Dezembro de 2004 às 00:00
“O Eusébio sempre foi um bom amigo e ajudou-me bastante na preparação das maratonas do Mundial e do Jogos Olímpicos. Prescindiu das suas férias para me acompanhar num estágio. Tem estado sempre presente nos bons e maus momentos”, explicou Alberto Chaíça, acrescentando: “Senti-me na obrigação de o ajudar a concretizar o seu sonho”.
Embora tenha anunciado que só correria até aos 30 km, Alberto Chaíça acabou por fazer 41 km. “Senti que o Eusébio estava a sofrer muito e resolvi levá-lo até ao último km”, referiu, lembrando um episódio curioso: “Quando o meu treinador Américo Brito viu que não desisti só me disse: ‘Então pá? não paras!’”
A verdade é que esta acção, de correr a maratona quase até final, saiu cara a Chaíça, pois poderia ter negociado um cachet bem chorudo. “Não corro uma maratona por menos de 40 mil euros, mas a amizade não tem preço e fiquei muito contente pelo título do Eusébio Rosa”.
Aos 36 anos, Eusébio Rosa vive um conto de natal. O título de campeão e uma forte demonstração de amizade por parte de um amigo. “Ainda estou dorido, mas muito contente. Esta foi a melhor prenda que eu poderia ter. Acho que estamos os dois de parabéns”, referiu ao CM o cantoneiro de estradas da Câmara Municipal de Almada, que após o título de campeão nacional até se esquecia de levantar o prémio de 1500 euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)