Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Clubes votam proposta de alargamento da Liga para 2013/14

Os pequenos e médios clubes profissionais de futebol vão insistir esta quinta-feira no alargamento do principal campeonato, com a apresentação, em assembleia-geral extraordinária da Liga, de uma nova proposta com vista à época 2013/14.
28 de Junho de 2012 às 16:47
António Fiúza, presidente do Gil Vicente
António Fiúza, presidente do Gil Vicente FOTO: Bruno Colaço

Os presidentes da Académica e do Gil Vicente, José Eduardo Simões e António Fiúza, respectivamente, confirmaram a intenção de propor o alargamento mas com efeitos já na próxima época, isto é, com a disputa de uma liguilha entre os dois últimos classificados da Liga e os terceiro e quartos da Honra no final de 2012/2013.

"Os pequenos e médios clubes não podem ter os seus jogadores em férias durante quatro meses, nem fazer 30 e poucos jogos e 300 treinos por época", realçou António Fiúza.

Confrontado com as questões económicas associadas ao futebol português, nomeadamente o facto de haver clubes que não cumprem, com frequência, os seus compromissos salariais e fiscais, o presidente do Gil Vicente contrapôs: "São sempre os mesmos clubes, de forma crónica, que não pagam. Os que subiram não têm salários em atraso".

Por sua vez, José Eduardo Simões, afirmou estar de acordo com o alargamento, "desde que se faça com mais dois clubes e não com três".

Porém, o presidente da Académica entende que "é também importante, nesta matéria, que se cuidem questões como a equidade na distribuição das receitas e que haja mais dinheiro no futebol".

"Por outro lado, não pode continuar a desvirtuar-se a competição, pois há clubes que contratam jogadores a prometer salários mais elevados que a Académica, mas que depois não os pagam", concluiu.

Os dois dirigentes falaram à entrada do Conselho de Presidentes dos clubes profissionais de futebol, que se reuniu antes das duas assembleias-gerais extraordinárias da Liga, numas das quais se voltará a debater o alargamento.

Dos clubes de maior dimensão, apenas o Benfica se fez representar no Conselho de Presidentes, ao contrário do FC Porto e Sporting, cujos dignitários apenas participarão nas duas assembleias que se seguem, tendo chegado à Alfândega do Porto, onde decorre o encontro, ainda durante a reunião presidencial.

Varzim e Tondela estão também representados, embora com estatuto de observadores, pois o Conselho ainda diz respeito à época 2011/12, na qual não participaram nas provas profissionais.

A primeira assembleia-geral extraordinária vai apreciar, discutir e votar as propostas de alteração ao Regulamento das Competições e ao Regulamento Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

Apenas na segunda reunião magna, conforme a ordem de trabalhos, é que vai ser debatido e votada a nova proposta de alargamento.

clubes futebol liga alargamento
Ver comentários