Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

CONTAS DA FEDERAÇÃO INVESTIGADAS PELO FISCO

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF), assim como clubes dos distritos de Lisboa, Santarém, Setúbal e Leiria, estão a ser investigados pelo Fisco, segundo o CM apurou junto de um responsável da Administração Fiscal.
4 de Outubro de 2002 às 23:23
Contactado pelo CM, o vice-presidente da FPF, Amândio de Carvalho, confirmou a existência de duas inspecções às contas da FPF, uma no início do ano e outra após declarações de António Boronha. “É verdade que decorrem investigações, mas até este momento, não fomos notificados de nada, nem sabemos as conclusões dos relatórios”. “Segundo os nossos juristas e especialistas em contas, julgamos que estamos a cumprir a Lei”, disse.

Além da investigação à FPF (segundo a TVI a FPF não terá retido o devido imposto dos prémios aos jogadaores da selecção, pagando-os por inteiro), fonte da administração fiscal adiantou ainda que depois de ter realizado – 25 de Setembro último – uma “acção de formação nas instalações da Associação de Futebol de Lisboa”, onde ensinou os clubes e instituições desportivas a preencher as respectivas declarações de impostos, deixou o aviso de que iria “a seu tempo, investigar os mesmos”.

O presidente da AFL, Carlos Ribeiro, confirmou ao CM a acção de formação. “No dia 25 de Setembro o dr. Raúl Castro da Administração Fiscal, esteve nas nossas instalações no sentido de informar e ensinar os clubes a preencher os formulários dos impostos. No final deixou o aviso de que, dentro das possibilidades do Fisco, iria investigar os clubes”. Carlos Ribeiro foi mais longe e adiantou mesmo ter conhecimento de que o Fisco já efectuou “várias inspecções a clubes dos distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém e Leiria”, ao mesmo tempo que “está na FPF desde Fevereiro último a fiscalizar”.

Madaíl responde a brito

Noutro âmbito, em resposta às afirmações de Manuel Brito, publicadas em entrevista ao “Independente” de ontem, Gilberto Madaíl acusou o ex-presidente do IND de estar a mentir em relação aos acontecimentos que levaram à suspensão de Kenedy, por doping, no estágio da selecção em Macau. Manuel Brito disse que a FPF, antes de partir para o Oriente, já tinha conhecimento da situação irregular do jogador. “Esse senhor está a faltar à verdade. Nem seis horas antes do prazo de entrega da lista à FIFA tínhamos conhecimento de qualquer análise positiva. Apenas duas horas antes desse prazo nos foi comunicado que existia uma análise positiva.”, afirmou Madaíl ao CM. A FPF prepara já uma acção judicial contra Manuel Brito. (Entrevista com Gilberto Madaíl, sobre candidatura à FPF, nas páginas centrais)
Ver comentários