Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Continuo a acreditar no presidente do Sporting

José Roquette, ex-presidente do Sporting, abordou ontem o momento conturbado que atravessa o Sporting.
11 de Outubro de 2005 às 00:00
Num discurso ponderado, o antigo presidente e mentor do projecto que revolucionou o clube ‘leonino’, pediu “calma” e “tranquilidade”.
“Gostaria que as coisas estivessem a correr melhor. Mas estar a enveredar por caminhos precipitados não ajuda nada. Por mim, continuo a acreditar nos responsáveis, nomeadamente no presidente do Sporting, nas linhas que estão a ser seguidas, e não vou acrescentar mais nada a não ser desejar que tudo volte ao seu sítio”, referiu Roquette, após o descerramento de uma placa alusiva aos 120 anos do nascimento do fundador do clube, José Alvalade.
O antigo dirigente sportinguista, neto de José Alvalade, apelou ainda à solidariedade dos adeptos com a actual direcção e demais elementos do clube: “Vamos aguardar com calma, o Sporting é uma instituição muito especial nesse sentido. Estas alturas são para exprimirmos solidariedade com o Sporting e com os seus órgãos sociais. Acredito em tudo o que é hoje o Sporting”.
Entretanto, ontem o Sporting realizou o primeiro treino na Academia de Alcochete depois das cenas de pugilato entre Beto e Custódio, na sessão de sexta-feira. Apesar do clima crispado entre os dois futebolistas, a verdade é que o fim-de-semana serviu para um e outro serenarem.
De acordo com a SIC, os dois jogadores terão mesmo mantido uma longa conversa telefónica para tentar amenizar a crise. Recorde-se que numa reunião realizada sexta-feira na SAD, Custódio afirmou que não voltaria a trabalhar com Beto e chegou mesmo a ponderar sair do clube.
Resta agora saber o que irá acontecer aos dois futebolistas. Por uma questão de coerência, José Peseiro parece não ter outra alternativa se não aplicar um castigo aos dois, o que afastaria Beto e Custódio do jogo com a Académica.
Só que perante a lesão de Rogério e a suspensão de Miguel Garcia, a exclusão de Beto obrigaria o técnico a adaptar Sá Pinto ao lado direito da defesa.
Finalmente, destaque para Maurício Pinilla. O internacional chileno admitiu ontem ter exagerado na sua reacção contra o adjunto ‘Pato’ Jérez, após este se ter enganado nos números durante as substituições no jogo Colômbia-Chile (1-1), o que levou Pinilla a sair quando não devia. “Estava de cabeça quente. ‘Pato’ é um grande profissional e todos cometemos erros”, disse Pinilla ao jornal ‘Las Últimas Notícias’.
APONTAMENTOS
D. CUNHA PEDE APOIO
Dias da Cunha, em editorial do jornal ‘Sporting’, hoje nas bancas, procura tranquilizar os adeptos ‘leoninos’, a qeum pede apoio. “Sei como assegurar as condições de trabalho capazes de nos trazer os resultados que ainda podemos alcançar”, frisa o presidente, que, como o CM noticiou, está decidido a chamar a si o comando do futebol, diminuindo a esfera de acção dos administradoes da SAD, Paulo de Andrade e Rui Meireles.
Dias da Cunha diz ainda que “há forças interessadas em destruir o trabalho que o Sporting tem vindo a desenvolver”.
HOMENAGEM
Na placa que marca os 120 anos do nascimento de José Alvalade lê-se: “No centenário do clube lembramos o homem cuja fé inabalável e perseverança permitiram construir aquilo que hoje somos. Tão grande como os maiores da Europa”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)