Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Crónica do Dakar: Descontrair em Buenos Aires

O piloto português Helder Rodrigues, que vai competir no Rali Dakar Argentina-Chile numa moto Yamaha inicia hoje uma série de crónicas sobre a mais famosa competição automobilística por etapas do Mundo.
31 de Dezembro de 2009 às 17:04
Primeiro susto
Primeiro susto FOTO: d.r.

Estamos a poucas horas do arranque da edição de 2010 do Rali Dakar Argentina-Chile, que provavelmente assinalará a despedida desta grande maratona do todo-o-terreno mundial da América do Sul (o regresso a África é aqui muito falado e desejado pelos pilotos). Está cumprido o ritual das verificações técnicas, a minha Yahama WR450 encontra-se no Parque Fechado e agora procuramos descontrair um pouco antes do início da acção. 

A passagem de ano em Buenos Aires ainda está a ser organizada entre os portugueses, mas neste contexto acaba por ter uma importância relativa. Será certamente um encontro de amigos, mas obviamente sem lugar para grandes excessos – pois amanhã todos temos que estar a 100 por cento.

Entrando nesta onda de descontracção, a organização optou pela primeira vez na história do Dakar por um arranque não competitivo. Mesmo nos tempos em que a partida era dada de Paris, sempre havia o prólogo antes das longas ligações até ao ferry. Agora vamos todos sair de Buenos Aires com calma e sem pressas, pois os 349 quilómetros que vamos cumprir no primeiro dia de 2010 são apenas de ligação. É bom arrancar sem a pressão dos cronómetros e assim poder dar mais atenção ao muito público que é esperado. Por outro lado, este primeiro dia vai também funcionar como um aquecimento para a competição que aí vem.

Pela parte que me diz respeito, estou tranquilo e bem treinado para voltar a dar tudo por tudo nesta grande competição que é o Dakar. Depois de um ano de preparação, não vejo a hora da chamada para a partida

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)