Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

DECO AO LADO DE RUI COSTA

Deco deve mesmo ser titular na sua estreia com a camisola da selecção portuguesa, sábado, frente ao Brasil, no Estádio das Antas. Este parece ser o pensamento de Scolari, que no treino de ontem à tarde testou várias soluções do meio-campo para a frente.
27 de Março de 2003 às 01:26
E se, inicialmente, Deco não esteve no grupo de Figo, Rui Costa e companhia, o médio portista integrou-o depois, formando então o grupo de jogadores que deverá ser titular com o Brasil. Num treino em que não houve ‘peladinha’, o seleccionador deu especial atenção às jogadas de ataque e concretização. Scolari testou vários grupos de jogadores no ataque. E pelo que foi possível avaliar, Costinha, Deco e Rui Costa serão os jogadores que vão formar o meio-campo português, com Figo e Sérgio Conceição nas alas e Pauleta no ataque.
Foi, aliás, este grupo de ataque, frente à defesa teoricamente titular – constituída por Paulo Ferreira, Fernando Couto, Meira e Rui Jorge –, que melhor correspondeu às exigências de Scolari, embora um outro, formado por Pedro Mendes, Maniche, Deco, Miguel, Simão e Nuno Gomes também tenha dado boas indicações.
DECO JÁ MARCOU
Durante este exercício, jogado a meio-campo, o objectivo de Scolari era que o ataque trocasse a bola e, em jogadas de envolvimento ou ataque continuado, chegasse ao golo. E neste particular assinala-se a estreia de Deco a marcar pela selecção: o médio recebeu a bola à entrada da área e rematou forte para o fundo da baliza, então defendida por Quim.
Num treino marcado pela chuva que caiu ao longo de toda a sessão, o seleccionador deu ainda especial importância à marcação de livres directos. Aliás, foi com este exercício que terminou a preparação de ontem. E os jogadores portugueses mostraram alguma falta de pontaria. Figo, Rui Costa, Simão, Deco, Sérgio Conceição e Pauleta foram os designados por Scolari para treinar os livres à entrada da área.
Depois de nove séries sem qualquer golo e com muitas bolas a passarem longe do alvo, Sérgio Conceição foi o primeiro a concretizar um livre, que teve direito a um grito de comemoração. É que até nas bancadas já se comentava o facto de após tantas tentativas os jogadores não conseguirem chegar ao golo.
Simão explicaria mais tarde que a ‘culpa’ da falta de concretização era das bolas. “Estamos ainda a adaptar-nos às bolas. Costumámos jogar com Adidas, mas esta bola é Nike, é um pouco diferente e requer alguma adaptação. É uma questão de tempo”, explicou.
DECO INTEGRADO
Se, terça-feira, ainda se ouviu um misto de apupos e aplausos à presença de Deco na selecção, ontem o jogador passou quase que despercebido, tanto no treino da manhã, como no da tarde, que teve mais público a assistir.
Deco realizou duas sessões de trabalho tranquilas, mostrando estar a integrar-se progressivamente no grupo, embora seja notório que, naturalmentem está mais próximo dos seus colegas do FC Porto, Costinha, Paulo Ferreira e Maniche, sendo que durante os treinos são poucos os jogadores que param para trocar palavras entre si. Do ‘núcleo duro’ Sérgio Conceição é aquele que parece mais próximo de Deco.
”UMA VITÓRIA PARA PORTUGAL
Simão espera que o jogo de sábado com o Brasil seja, no mínimo, tão bom como o do ano passado, que terminou com um empate (1-1).
“Frente ao Brasil vamos procurar jogar o nosso futebol, coisa que não conseguimos com a Itália. Que seja um jogo tão bom como o do ano passado. Esperamos um bom espectáculo e que Portugal vença”, afirmou.
O Brasil será um teste ‘duro’, mas Simão prefere estes jogos a enfrentar uma selecção mais fraca, que, teoricamente, permita à partida uma vitória. “Estes jogos são importantes para podermos avaliar até onde podemos ir. Um jogador gosta sempre destes desafios, pois são testes importantes para prepararmos da melhor forma o Campeonato da Europa”.
”MOTIVAÇÃO MAIOR COM O BRASIL
Apesar de ter assegurada a titularidade na baliza portuguesa, Ricardo mantém a humildade e sente-se mais motivado do que nunca para defrontar os brasileiros, depois da excelente exibição realizada o ano passado frente à selecção ‘canarinha’.
“Trabalho sempre com empenho para vir à selecção e jogar. Agora sendo titular ou não, gosto é de estar aqui. Estou sempre motivado, seja com que adversário for. Com o Brasil, por ser o actual campeão do mundo, a motivação é ainda maior. Sabemos que vai ser um encontro muito difícil”.
A passar por um bom momento, o guarda-redes diz não ser este ainda o momento alto da sua carreira: “Deus queira que não, pois significaria que a partir de agora seria sempre a descer. Espero melhorar mais”.
NO ‘SEIO’ DO GRUPO’
DECO BEM RECEBIDO
Quem o garante é Simão, que ontem referiu que o jogador portista está a ser bem tratado por todos. “O grupo está bem. O Deco é um bom jogador e tem-se adaptado normalmente. Foi bem recebido e está connosco para ajudar. Temos um excelente grupo e o Deco vai ser mais um para ajudar”, afirmou Simão, após o treino de ontem à tarde no Jamor.
SCOLARI COM PONTARIA
Na fase final do treino de ontem, Luiz Felipe Scolari e o seu adjunto, Flávio Murtosa deram uma lição de como se marcam penalties. Com Ricardo e Quim na baliza, o seleccionador apontou três grandes penalidades, concretizando-as todas, com a bola a ir sempre para um lado e o guarda-redes para o outro. Também Murtosa concretizou os três ‘penalties’.
JANTAR DE SELECÇÕES
Após o encontro particular entre a selecção nacional e o Brasil, jogadores e equipas técnicas terão a oportunidade de jantar a bordo do barco “Milénio do Douro”, que partirá de Massarelos para um pequeno cruzeiro nocturno. Para além dos elementos de ambas as selecções, o jantar contará com a presença de dirigentes e outras personalidades públicas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)