Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Defesa central está escolhido

O lesionado Jorge Andrade já tem substituto para o Mundial da Alemanha, que começa no próximo dia 9 de Junho. Quem o revelou foi o próprio seleccionador Luiz Felipe Scolari, escusando-se, contudo, a revelar o nome do escolhido. ‘Felipão’ só o fará no próximo dia 15, pelas 20h00, quando divulgar o nome dos 23 eleitos para a competição germânica.
4 de Maio de 2006 às 00:00
“O central está escolhido” foi aliás a única frase de Scolari sobre este tema, durante a conferência de Imprensa de apresentação do projecto de apoio à selecção nacional ‘A Mais Bela Bandeira do Mundo’. O seleccionador ‘escapou-se’ depois às perguntas acerca do nome do felizardo. No entanto, o próprio treinador havia já confirmado que estava a observar “três ou quatro jogadores”, sendo que Tonel, do Sporting, seria um deles, como Scolari admitiu na semana passada. E ao que o CM apurou, o escolhido sairá deste lote: Ricardo Rocha, Ricardo Costa, Tonel ou Nunes.
Outro dos temas ontem abordado por Scolari foi a alegada reunião que iria ter até ao fim desta semana com o técnico dos sub-21, Agostinho Oliveira, como o próprio técnico dos mais jovens revelou ao CM. ‘Felipão’, contudo, não só desmentiu tal encontro como se exaltou com a notícia.
“Algumas coisas são passadas à Imprensa que não são realidade. Não tenho nada marcado, se alguém marcou não fui eu e por isso algo está mal. Agora, posso dizer que vou disponibilizar todos os recursos, aliás como sempre disponibilizei desde que cheguei, porque em muitos jogos da Selecção deixei de convocar jogadores dos sub-21 para que os técnicos tivessem sempre os melhores atletas”, afirmou.
Quem saiu em defesa de Scolari foi o presidente da FPF, Gilberto Madaíl. “É e sempre será o seleccionador dos ‘A’ que definirá o ‘timing’ da reunião. Será sempre ele, respeitando claro os sub-21, a marcar o ritmo. É a selecção de sub-21 que depende da principal e não o contrário”.
Como não podia deixar de ser, o futuro da selecção e de Scolari também foi tema de conversa. E se ‘Felipão’ optou por ‘fugir’ ao assunto, já Gilberto Madaíl foi contundente ao revelar que não há acordo com Scolari, isto depois deste ter recusado a selecção inglesa.
“A mais valia de Scolari é indesmentível mas nós somos uma Federação pequena e não podemos entrar em loucuras, temos de ter os pés bem assentes no chão. Não existe nenhum acordo e ainda não falámos sobre essa matéria, mas vamos fazê-lo. A renovação do contrato do seleccionador está dependente da vontade de duas partes. No entanto, admito que possamos resolver tudo durante o Mundial”, disse.
COSTINHA ADMITE RECUSAR MUNDIAL
Os últimos quatro meses foram um duro calvário para Costinha. O médio foi afastado no seu clube, o Dínamo de Moscovo, e tem treinado sozinho, pelo que admitiu ontem recusar a convocatória para o Mundial’2006 se não estiver em condições de jogar.
“Não quero prejudicar a Selecção. O Mundial não é um projecto pessoal, mas de todo o País e se sentir que não estou em forma, serei o primeiro a ‘saltar fora’. Se não estiver apto e for chamado recusarei a convocatória”, disse.
Costinha revelou ainda que já deu início ao processo de rescisão com justa causa, alegando “incumprimento salarial”. A rescisão seguiu no passado dia 22 para o clube e hoje o documento segue para a FIFA. Ontem o At. Madrid anunciou estar interessado em Costinha, mas o trinco afirma que ainda não definiu o seu futuro. Portugal também é uma hipótese e embora não feche portas a Sporting e Benfica, Costinha adianta que “o único clube com condições e onde se ganham títulos é o FC Porto”.
BES VAI UTILIZAR O JAMOR DE BORLA
Esta mega campanha do BES, cujo investimento global será de 1,5 milhões de euros, terá lugar no estádio do Jamor. E ao que o Correio da Manhã apurou, o Banco Espírito Santo vai poder utilizar o recinto desportivo sem despender um cêntimo sequer.
Segundo soube o nosso jornal tal facto deve-se à intervenção do Secretário de Estado e do Desporto, Laurentino Dias, junto da administração do estádio do Jamor (recorde-se que há cerca de um mês o administrador Albino Maria apresentou a demissão).
Registe-se que o estádio do Jamor está sob a tutela do IDP (Instituto do Desporto) e o aluguer do recinto anda entre os 15 e os 30 mil euros. Valores curtos tendo em conta o forte investimento, mas ainda assim o presidente do BES Ricardo Salgado, sem confirmar o custo zero do aluguer, aproveitou para agradecer o gesto. “Quero deixar uma palavra de apreço à FPF e ao IDP por nos terem deixado utilizar o Estádio do Jamor para esta iniciativa”.
APONTAMENTOS
ALEX PRÉ-CONVOCADO
Alex, lateral-direito que actua no Wolfsburgo, foi pré-convocado por Luiz Felipe Scolari para o Mundial’2006. O antigo jogador do Benfica – Alex deixou a Luz para a Aleamnha no início desta época –, chegou à selecção pela mão de Scolari, contando actualmente três internacionalizações. Alex actuava coo extremo mas foi reconvertido para a posição de lateral.
CORAÇÃO PORTUGUÊS
Luiz Felipe Scolari voltou ontem a declarar amor a Portugal, em detrimento de Inglaterra e... Brasil. “O meu coração pertence a Portugal. Sou profissional de Portugal, e esse assunto já está superado. Posso dizer que se encontrar o Brasil no Mundial podem ter a certeza que tudo farei para os eliminar. Sou de Portugal do princípio ao fim”, garantiu.
BANDEIRA GIGANTE
A FPF e o Banco Espírito Santos (BES) apresentaram ontem, tal como o CM adiantou, o projecto ‘A Mais Bela Bandeira do Mundo’. O ponto alto deste projecto é a realização, no próximo dia 20 de Maio (a partir das 11h00) no estádio do Jamor, de uma bandeira de Portugal humana composta exclusivamente por mulheres.
HISTÓRIAS DE PORTUGAL NO MUNDIAL
CHUTEIRAS RENDEM 250 EUROS A JOSÉ CARLOS
José Carlos fez apenas dois jogos no Mundial de 1966: Inglaterra (derrota, por 1-2) e Rússia (vitória, por 2-1). Tal como os restantes jogadores, recebeu 120 contos como prémio pelos cinco triunfos da selecção lusa em Inglaterra. Além disso, o central do Sporting auferiu mais 50 contos (250 euros) por ter utilizado chuteiras Adidas nos dois encontros.
O seu companheiro de quarto, José Torres, também utilizou botas da mesma marca. E como o ‘cachet’ era pago logo a seguir aos jogos, o ‘bom gigante’ tinha a mania de contar as libras no quarto, para gozar com José Carlos, suplente na fase de grupos. Numa ocasião, o ‘leão’ não gostou do que estava a acontecer e atirou com uma bota ao sorridente Torres.
4 DE ABRIL DE 1986
Chegam ao fim os nove dias de estágio da selecção no Estádio Nacional. Os jogadores da selecção portuguesa rumam a casa para gozarem três dias de folga.
Ver comentários