Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Despedimento de Queiroz em cima da mesa

Reunião da direcção vai decidir futuro. Madaíl diz que Portugal atingiu o “mínimo exigido” e está a ser pressionado para mudar de seleccionador
3 de Julho de 2010 às 00:30
Gilberto Madaíl não esconde que esperava mais da selecção nacional e admite que reunião pode ser decisiva para afastar Queiroz
Gilberto Madaíl não esconde que esperava mais da selecção nacional e admite que reunião pode ser decisiva para afastar Queiroz FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

Gilberto Madaíl, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, não quer 'alimentar boatos' sobre a continuidade ou não de Carlos Queiroz à frente da Selecção, por isso vai reunir com a restante direcção (maioria defende saída do técnico) para analisar a prestação lusa no Mundial e decidir o futuro do seleccionador.

'Resta-nos analisar, em reunião de Direcção, como sempre acontece após fases finais (...) no sentido de identificar as medidas que podemos tomar para que estejamos mais fortes', refere o líder da FPF ao site do organismo. Ainda sem data definida, a reunião, ao que o CM apurou, terá em cima da mesa a possível saída de Queiroz que já garantiu que não se demite.

Apesar de cumprido o mínimo exigido, Madaíl admite que sonhava com mais: 'Não saímos da África do Sul quando queríamos, não chegámos onde sonhávamos mas voltámos para casa de cabeça erguida.'

A desilusão pelo afastamento nos ‘oitavos’, as críticas de jogadores ao seleccionador, a turbulência com o capitão Cristiano Ronaldo e a falta de empatia com o público português (bem diferente do seu antecessor Luiz Felipe Scolari) são argumentos fortes a favor do afastamento de Carlos Queiroz. Caso isso se verifique, a Federação Portuguesa de Futebol vai ter de indemnizar o técnico em 3,2 milhões de euros (principal obstáculo à saída do treinador).

Certo é que decisão da FPF deve acontecer o quanto antes, até porque Portugal tem já o primeiro jogo de apuramento para o Euro’2012 no dia 11 de Agosto com o Chipre.

APONTAMENTOS

LUIZ FELIPE SCOLARI

A passagem de Luiz Felipe Scolari por Portugal (entre 2003 e 2008) deixou saudades quer no plano desportivo como na relação com os portugueses. O novo técnico do Palmeiras é recordado com saudade.

NOVO CAPITÃO

Depois da atitude de Ronaldo após a eliminação com a Espanha em que disse aos jornalis-tas para pedirem explicações ao técnico, a braçadeira de capitão deve mudar de braço, sendo Bruno Alves o principal candidato.

FIFA DÁ 8 MILHÕES

A passagem da fase de grupos para os oitavos-de-final valeu à FPF qualquer coisa como oito milhões de euros, prémio atribuído pela FIFA. 

LUIS ARAGONÉS

Perante a difícil fase de qualificação para o Mundial, o espanhol Luis Aragonés foi dado como possível substituto de Queiroz. Agora, o nome do ex-seleccionador de Espanha volta a estar em cima da mesa. Na quarta-feira, em declarações à RR, Aragonés disse desconhecer qualquer contacto por parte da FPF.

DEBANDADA DE TÉCNICOS

Otto Rehhagel (Grécia) foi um dos muitos seleccionadores que abandonaram o cargo após o afastamento no Mundial. Nos casos de Domenech (França) e Lippi (Itália), as saídas já estavam confirmadas antes da prova. Dunga (Brasil), Aguirre (México), Le Guen (Camarões), Parreira (África do Sul) foram outros técnicos a abandonarem.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)