Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

DESPERDÍCIO DE CLÁSSICO MINHOTO

Um mau clássico, protagonizado na parte da tarde de ontem entre Moreirense e Vitória de Guimarães (0-0). Um jogo intenso, combativo, mas sem motivos de interesse quanto ao espectáculo, com as ocasiões de golo a rarearem.
30 de Agosto de 2004 às 00:00
Vítor Oliveira
Vítor Oliveira
Ponto prévio: as rotinas dos modelos de treino e de jogo ainda não estão assimiladas pelas duas equipas, mas o Moreirense manteve ‘quase’ a mesma estrutura da época passada. Vítor Oliveira não deixou cair o 4x3x3 da época passada que tanto sucesso gerou.
Foi preciso esperar 23 minutos para que um protótipo de remate morresse calmamente nas luvas de Palatsi. Lito e Lomba ainda testaram a atenção do francês enquanto o Vitória, confrangedor no ataque, só por uma vez criou perigo relativo quando Luís Mário e Assis tentaram uma combinação no interior da área, mas João Ricardo, atento, não o permitiu (42’). Estava corrido o pano sobre uma primeira parte sensaborona. E os minuto sem futebol prosseguiram.
Na segunda metade, Machado, treinador do Vitória, subtraiu uma unidade ao meio-campo, deixando Rui Ferreira no balneário e lançando Romeu, dando algum colorido ao ataque nos minutos essenciais, mas este também se deixaria sorver pela muralha defensiva do Moreirense. Os locais apareceram na segunda metade mais afoitos. Armando (64’) e Emanuel (69’) tiveram o golo na ponta da bota, mas não conseguiram abanar as redes. A perícia de Palatsi e o desacerto impediram que houvesse golos.
Perto do final, Sérgio Lomba viu o segundo cartão amarelo e deixou a equipa em inferioridade. Um estádio repleto merecia muito mais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)