Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Dessa já estamos safos

Não é o facto de o Sporting se encontrar numa posição surreal na tabela– em 11.º lugar, 7 pontos abaixo da Europa e 7 pontos acima da despromoção – que rouba ao jogo de Alvalade o estatuto de “clássico”. Há e haverá sempre a questão dos pergaminhos quando dois “grandes” desta envergadura se encontram mesmo que um dos deles tenha encolhido substancialmente em tamanho e ambição, como é o caso do anfitrião desta noite.
2 de Março de 2013 às 15:00

O FC Porto vai entrar em Alvalade na liderança e, se o seu treinador assim o entender, pode fazer alinhar quatro valiosos ex-jogadores do Sporting que se mudaram para o Dragão dentro daquele respeito pela política de desanuviamento instaurada entre os dois emblemas. E se em Dezembro, quando o Sporting recebeu o Benfica, o líder dos Super Dragões foi recebido em Alvalade com “tratamento VIP” não há razão alguma para recear que o ambiente desta noite fraterna possa vir a ser perturbado por alguma facção mais independentista de sportinguistas.

O FC Porto apresenta-se com quatro ex-jogadores do Sporting e o Sporting apresenta-se com um ex-treinador e um ex-jogador do FC Porto. Entre os três candidatos à presidência do Sporting, há um, José Couceiro, que se apresenta como ex-treinador do FC Porto e há outro que parece preocupado com os eventuais absurdos desta “entente cordiale” entre os dois supostos rivais. Trata-se de Carlos Severino a quem a imprensa tem tratado como o típico candidato do “queijo da serra”, isto é, o que não tem qualquer espécie de hipótese de triunfar. Severino insurgiu-se esta semana contra o facto de Jesualdo Ferreira, que é o treinador da equipa de futebol do Sporting, se ter referido à derradeira prestação de Rui Patrício em termos que “fragilizaram” o guarda-redes e, sem grandes cuidados diplomáticos, afirmou ainda que no seu Sporting não quer “infiltrados”.

Perante todos estes relambórios e dados factuais, digam lá o que interessa o resultado do jogo de hoje em Alvalade? Longe vão os tempos em que Pedro Santana Lopes era presidente do Sporting e teve de conviver com a “entente cordiale” entre Pinto da Costa e Manuel Damásio. “Que se fundam!”, disse-lhes uma vez Santana Lopes, lembram-se? Mas não se fundiram. Dessa já estamos safos.

ERRAR É HUMANO

Uma questão de ponto de vista

O futebol para os jogadores é uma questão de bola. Para o resto dos envolvidos – dirigentes, técnicos e público em geral – é uma questão de ponto de vista. Tomemos o exemplo da meia-final da Taça da Liga. O Braga ganhou nos penáltis e foi justa a sua vitória frente a um Benfica de segunda linha em prol da gestão de esforços, fenómeno recorrente em todas as equipas que se obrigam a múltiplos objectivos. Sob o ponto de vista do futebol-romance foi um final perfeito. Dois proscritos do Benfica, Quim e Ruben Amorim, revelaram-se determinantes no sucesso bracarense. Quim defendeu dois penáltis, Amorim converteu um da série de cinco e ambos gozaram a sua vingança na cara de Jorge Jesus.

Sob o ponto de vista do futebol-fado, o futebol mais dado ao lamento, o desfecho do jogo também se aceita. O Braga ganhou nos penáltis, pois sim, mas começou a ganhar nos penáltis logo aos 78 minutos do jogo quando o árbitro não viu o derrube intencional de Salino a Gaitán na área minhota e ainda faltavam uns bom quarto-de-hora para o fim do jogo corrido. Errar é humano, como bem sabem Luisão, Roderick e Gaitán que, no espaço de poucos minutos, conseguiram falhar o mesmo número de penáltis que Van Wolfswinkel já desperdiçou ao longo de toda a época. É obra!

POSITIVO

Mota arranca

O Vitória de Setúbal comandado por José Mota somou três vitórias nas últimas três jornadas do campeonato e fugiu da zona da aflição a que parecia condenado. Tem valor, sim senhor.

Quim, o herói

Nos 90 minutos da meia-final da Taça da Liga o veterano Quim nem teve muito que fazer. Uma defesa por instinto a um remate de cabeça de Rodrigo e pouco mais. Mas na lotaria final, foi ele o herói.

NEGATIVO

Patrício censurado

Tem sido o salvador do Sporting em inúmeras ocasiões mas no Estoril teve o seu momento-não e viu-se criticado publicamente por Jesualdo Ferreira. Injusto? Sim, um bocadinho.

PÉROLA

“Izmailov está a colocar muitas coisas em causa.”, Domingos Paciência 

O ex-treinador do Sporting questionou publicamente a milagrosa recuperação do jogador russo que, em Alvalade, raramente saía da enfermaria e que no Dragão parece vender saúde. Para Domingos o renascimento de Izmailov coloca em causa “treinadores, médicos e o seu próprio profissionalismo”.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)