Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

“Devemos ser bons mas não parvos”

"Considero as declarações infelizes, desajustadas no tempo e na substância. Não somos ingratos, devemos ser bons mas não parvos." Foi desta forma que Carlos Beato, presidente do Turismo do Alentejo Litoral, reagiu às recentes declarações de Nuno Aires, seu homólogo do Algarve.
16 de Abril de 2010 às 00:30
António Ceia da Silva (esq.) e Carlos Beato defendem a candidatura da Herdade da Comporta
António Ceia da Silva (esq.) e Carlos Beato defendem a candidatura da Herdade da Comporta FOTO: Jorge Paula

Aires considera a Herdade da Comporta como uma "má escolha" para a realização da Ryder Cup de 2018 (golfe) e defende que se trata de um "não-lugar". Para Carlos Beato, a candidatura algarvia dificilmente estaria dentro dos parâmetros da organização. "O Algarve não tem argumentos. Não é por ter mais de 30 campos ou tradição que seria escolhido. É mais fácil construir tudo de novo do que fazer a prova em campos usados, aquém dos critérios da organização", disse Beato durante a apresentação da candidatura do Alentejo Litoral.

Carlos Cortês, administrador da Herdade da Comporta, destaca a grandiosidade do projecto, "um dos maiores do Mundo", mas avisa que é necessário unir esforços: "Ganhámos o campeonato do bairro, agora temos de vencer a Taça dos Campeões."

Já para António Ceia da Silva, líder do Turismo do Alentejo, esta é uma oportunidade única: "Temos de deixar de ter política de capelinhas. Esta prova significa vantagens para o Algarve, Alentejo, Lisboa e todo o País."

Entretanto, o líder do PS/Algarve, Miguel Freitas, pediu ontem que os programas de promoção da região fossem reforçados como contrapartida por a candidatura portuguesa não incluir o Algarve. 

APONTAMENTOS

CONCORRENTES

Alemanha, França, Holanda e Espanha são os outros países concorrentes à Ryder Cup de 2018. O vencedor será conhecido entre Janeiro e Abril de 2011.

300 MILHÕES

Estimativas apontam para: impacto económico de 300 milhões de euros; 2 milhões de espectadores; 2 mil jornalistas; 300 mil ingressos vendidos; 150 mil turistas.

EXCELÊNCIA

Beato diz que há investimentos na ordem dos 1000 milhões de euros no Alentejo Litoral: "Queremos criar um destino turístico de excelência."

 

Ver comentários