Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

“Devia ser mais duro com os árbitros”

Já retirado, Veiga Trigo defende que o presidente da Comissão de Arbitragem da Liga deveria passar das palavras aos actos.
16 de Janeiro de 2010 às 00:00
Veiga Trigo
Veiga Trigo FOTO: d.r.

Correio Sport – Vítor Pereira assumiu que as críticas aos árbitros são legítimas e que nem sempre há imparcialidade. Como é que interpretou essas declarações?

Veiga Trigo – Com espanto. Finalmente meteu os pés no chão, ele que culpou jornalistas pela má arbitragem e pediu aos adeptos que não vejam os jogos.

– Aplaude as palavras dele, então?

– Pecam por tardias. Os árbitros erram de mais – e os erros são graves. Devia ser mais duro para com eles, que são muito bem pagos.

– Aonde quer chegar?

– Ele que passe das palavras aos actos. Não nomear um árbitro durante duas jornadas não é castigo, é descanso para passear. Os regulamentos prevêem um processo disciplinar quando não se cumpre. Eles erram porque sabem que não vão ser castigados.

– A arbitragem vai piorar?

– Há dez, 15 anos, tínhamos ‘juízes’ de alto gabarito. Hoje temos árbitros na I Liga que nem caberiam na 2.ª e 3.ª categorias daquele tempo. É preciso escolher os melhores e não os que têm ‘padrinhos’ nas associações de futebol.

– Aceitaria dirigir a Comissão de Arbitragem da Liga?

– Não, não aceitaria

DESCOBERTO NO LICEU

Veiga Trigo, de 58 anos, ex-árbitro internacional, mantém-se entre os nomes mais respeitados da classe. Jogou futebol nos juvenis do Desp. Beja e entrou na arbitragem aos 17 anos. Foi descoberto pelo presidente dos árbitros daquela altura, Armando Nascimento, quando apitava jogos interturmas no liceu.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)