Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

“Dirigentes mesquinhos”

Naval 1º de Maio e Varzim (Honra) são os únicos clubes dos campeonatos profissionais que não entregaram ontem a documentação comprovativa da regularização salarial até ao final do mês de Outubro. De acordo com os novos requisitos da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), os emblemas estão obrigados a apresentar os papéis até amanhã, sob pena de subtracção de pontos.
14 de Dezembro de 2010 às 00:30
Aprígio Santos, presidente da Naval 1.º de Maio, garante que a situação salarial está resolvida
Aprígio Santos, presidente da Naval 1.º de Maio, garante que a situação salarial está resolvida FOTO: LUÍS VIEIRA/RECORD

Contactado pelo CM, Aprígio Santos garantiu não estar preocupado com a situação. "Tudo será resolvido. Apenas houve falta de tempo. Temos tanta coisa importante para tratar. A nossa preocupação é termos os salários em dia", disse o presidente da Naval, mostrando-se desagradado com as novas medidas da LPFP: "É o País que temos. São muitas leis mesquinhas para tratar de mesquinhices. São dirigentes mesquinhos que fazem estas leis."

Para o líder dos figueirenses, há outras questões que merecem uma análise mais profunda. "Perguntem aos iluminados como é possível haver seis ou sete árbitros que subiram da II e da III Divisão para a Liga, sem qualquer passo intermédio. Isso é que devia ser alterado" frisou Aprígio Santos.

O dirigente revelou ainda estar muito decepcionado com o último lugar da Naval na Liga, deixando uma mensagem enigmática. "Não é só a equipa que é má. As associações que promovem determinadas coisas deviam estar atentas a certos dados", concluiu.

lpfp aprígio santos salários liga
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)