Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Dragão em colapso

O FC Porto deu ontem mais um passo atrás na corrida pela renovação do título de campeão – o quinto consecutivo.
17 de Janeiro de 2010 às 00:30
Bruno Alves e Falcão tiveram muitas dificuldades para ganhar espaço na área do Paços de Ferreira e só conseguiram o empate bem perto do final
Bruno Alves e Falcão tiveram muitas dificuldades para ganhar espaço na área do Paços de Ferreira e só conseguiram o empate bem perto do final FOTO: Nacho Doce/Reuters

Os azuis-e-brancos cederam um comprometedor empate em casa com o P. Ferreira e podem ficar a seis pontos dos rivais Benfica e Sp. Braga, que jogam hoje. Mas podia ter sido pior, pois o P. Ferreira esteve muito perto de ganhar o jogo. Bem organizado, intranquilizou os dragões e esteve a quatro minutos de ganhar o jogo, quando Falcão anulou a vantagem conseguida por Maykon. Lá iremos.

O FC Porto pode queixar-se de tudo e de todos. Mas em primeiro lugar de si próprio e da estranha ineficácia de Falcão, que teve na cabeça e no pé direito duas flagrantes ocasiões para marcar e atirou-as para fora. Pelo meio, Rui Costa, árbitro do jogo, invalidou um golo legalíssimo ao mesmo Falcão, por fora-de-jogo mal assinalado. Será que Vítor Pereira vai continuar a dizer que os árbitros não garantem a imparcialidade do jogo?

Tudo isto não aligeira as responsabilidades do FC Porto em mais uma exibição pouco conseguida. Rodríguez passou ao lado do jogo. Tomás Costa foi opção falhada e o primeiro a sair do jogo, Belluschi não se liberta do ‘fantasma’ de Lucho. Tudo somado, o FC Porto não exorciza os espíritos que o atormentam, é uma equipa descrente, à qual também já falta a sorte, quando tentou tudo na ponta final para virar a desvantagem que saiu do pé esquerdo de Maykon, após bom contra-ataque conduzido pelo suplente Pizzi, embalado por um apito da bancada.

Foi aí que o FC Porto se encheu de brios, partiu para cima do adversário, com Varela em destaque – o melhor do FC Porto –, mas só deu para o empate. Cássio não deixou que desse para mais.

JESUALDO: "TRÊS GOLOS ANULADOS EM DOIS JOGOS"

"Nos últimos dois jogos, o FC Porto viu três golos anulados. O Falcão tem 11 golos na Liga, mas deveria ter 13. Os jogadores têm de estar um metro atrás e não em linha. Não ganhámos porque fomos penalizados num lance. Em dúvida, beneficia-se a equipa atacante, mas não houve dúvida nenhuma." As palavras de revolta são de Jesualdo Ferreira, técnico dos dragões, em relação ao golo invalidado a Falcão, por pretenso fora-de-jogo.

"Este ponto acaba por beneficiar o antijogo, que foi claro durante a partida toda. Espero que, no futuro, as coisas não continuem assim", acrescentou .

"O FC Porto foi melhor, atacou mais mas não foi feliz. Registou alguma ineficácia", concluiu.

Bruno Alves, capitão dos azuis--e-brancos, mostrou-se confiante, apesar do empate: "Vamos continuar a trabalhar para conseguir recuperar os pontos perdidos."

ANÁLISE

POSITIVO

Cássio de elástico

Tremendo na fase final do jogo, com pelo menos quatro grandes defesas a evitarem o triunfo dos dragões. Sobretudo foi espantoso numa estirada a remate de Farías. Sem culpa no golo de Falcão.

NEGATIVO

Que feio, Bruno Alves

O defesa central livrou-se de boa, quando agrediu William, num lance em que não quis saber da bola. Acertou no adversário por duas vezes, num claro gesto de quem estava de cabeça perdida. Também se deixou levar por Pizzi no golo do Paços, sem mostrar ter pernas para o extremo.

ARBITRAGEM

Influenciou o jogo

Além de ter estado mal disciplinarmente (também expulsou mal Ozéia entre outros erros , do ponto de vista técnico não esteve melhor. Invalidou um golo limpo ao FC Porto por fora-de-jogo inexistente a Falcão. Muito fraquinho.

FICHA DE JOGO

LIGA - 16.ª Jornada - 16/01/10

Estádio do Dragão - Assistência: 26 709

FC PORTO: Helton, Fucile, Guarín, Rolando, Bruno Alves, Alvaro Pereira, Belluschi, M. González, Tomás Costa, Farías, Raul Meireles, Rodríguez, Varela, Falcão

TREINADOR: JESUALDO FERREIRA

P.FERREIRA: Cássio, Danielson, Ricardo, Ozéia, Baiano, Anunciação, Leonel Olímpio, Pedrinha, Maykon, Davidson, Manuel José, Pizzi, William, F. Pacheco

TREINADOR: ULISSES MORAIS

Golos: 0-1 Maykon (83’), 1-1 Falcão (86’)

Árbitro: Rui Costa (Porto) 1

Disciplina: amarelos: Danielson (12’), Pedrinha (58’), Ozéia (60’ e 89’), R. Meireles (78’), Cássio (90 3’), B. Alves (90 5’), Guarín (90 5’) VERMELHO: Ozéia (89’)

Classificação do jogo: 6

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)