Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Dragões não facilitam

Uma vitória (2-0) tranquila – mas que exigiu total empenho – sobre o D. Chaves permitiu ao FC Porto apurar-se, ontem, para a 5.ª eliminatória da Taça de Portugal. Apesar do descanso de algumas das figuras da equipa, os dragões não facilitaram, evitando uma reedição da surpreendente eliminação com o Fátima, para a Taça da Liga.
8 de Dezembro de 2007 às 00:00
O Chaves não se intimidou com o nome do adversário e entrou muito bem na partida, demonstrando vontade de provocar a primeira surpresa da quarta ronda da Taça de Portugal. Logo aos dois minutos, o médio Carlos Pinto teve uma oportunidade soberana de dar vantagem aos locais, mas o cabeceamento foi devolvido pelo poste da baliza de Nuno, que ontem substituiu Helton.
A noite fria indiciava que os dragões estavam sem ideias. Contudo, apesar da pouca inspiração, pertenceu aos portistas o domínio do jogo, com a equipa de António Borges a responder através de contra-ataques.
Num jogo fraco, só aos 30’ é que o FC Porto criou perigo. No entanto, o guardião flaviense negou o golo a Hélder Postiga – o melhor dos portistas em campo – após uma boa jogada individual. Os dragões tiveram ainda mais duas boas ocasiões, mas Mariano (33’) e Adriano (39’), não desfizeram o empate.
A pressão do FC Porto nos últimos minutos da primeira parte abrandou após o intervalo e o D. Chaves podia ter marcado por Bruno Madeira – remate saiu ligeiramente ao lado.
Aos 52’, os campeões nacionais chegaram, finalmente, à vantagem, num bonito lance. Kazmierczak assistiu Postiga e o avançado, sem deixar cair a bola, rematou para o fundo das redes. Indefensável. Após o golo, Postiga fez uma falta sobre Luís Vouzela, que originou uma confusão, com os suplentes das duas equipas a saltarem para o campo. O árbitro Elmano Santos acabou com a confusão com um cartão amarelo para cada jogador.
O D. Chaves tentou reagir, mas não teve argumentos para chegar ao golo. Ao ímpeto flaviense, os dragões responderam com Lisandro e Lucho González. O FC Porto confirmaria a vitória nos descontos, através de Adriano.
O árbitro Elmano Santos teve uma boa actuação, sem influência no jogo.
"PASSÁMOS ELIMINATÓRIA DIFÍCIL"
“Cumprimos sem brilhantismo uma eliminatória difícil”, foi desta forma que Jesualdo Ferreira, técnico do FC Porto, abordou o jogo. “Fomos uma equipa coesa, simples e humilde e foi isso que nos permitiu ganhar”, prosseguiu o técnico dos dragões, destacando o valor do adversário, apesar deste militar na 2.ª Divisão B. Já António Borges realçou o empenho e a exibição da sua equipa. “Dignificámos o clube com esta exibição. Agora vamos trabalhar para subir à Honra”, disse.
FICHA DO JOGO
Local: Estádio: Municipal de Chaves (5.000 espectadores)
Árbitro: Elmano Santos (Madeira)
DESPORTIVO DE CHAVES: Rui Rego, Nando, Abadito, Ricardo Rocha, Tiago, Bruno Madeira, Bruno Magalhães, Luís Vouzela, Carlos Pinto (Hélder Ferreira, 80m), Inzaghi (Gustavo, 80m), Tiago Martins (Evandro, 63m). Treinador: António Borges.
FC PORTO: Nuno, Fucile, João Paulo, Pedro Emanuel, Lino, Bolatti, Leandro Lima (Lucho, 61m), Kazmierczak, Mariano (Lisandro, 75m), Postiga (Marek Cech, 90m) e Adriano. Treinador: Jesualdo Ferreira.
Marcador: 0-1, Postiga (52m); 0-2, Adriano (90 1m)
Acção disciplinar: Cartões amarelos – Ricardo Rocha (10m), Abadito (22m), Nuno (47m), Postiga (54m), Vouzela (54m) e Adriano (55m)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)