Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Drogba relança Chelsea

Um golo de Drogba aos 74 minutos permitiu ontem ao Chelsea um triunfo suado sobre o Newcastle (1-0) em jogo em atraso da 16.ª jornada da Liga Inglesa, o que fez com que o conjunto de José Mourinho reduzisse para cinco pontos a diferença em relação ao líder Manchester United, de Cristiano Ronaldo e Carlos Queiroz.
14 de Dezembro de 2006 às 00:00
Makelelé ganha a bola nas alturas a Rossi
Makelelé ganha a bola nas alturas a Rossi FOTO: Stephen Hird, Reuters
O Chelsea sentiu grandes dificuldades para impor o seu jogo. Muitas falhas a meio-campo traduziram-se em poucos lances ofensivos na primeira parte, com Kalou a desperdiçar com remates por cima (12’ e 30’), duas boas ocasiões de golo.
No entanto, foi mesmo o Newcastle quem dispôs da melhor situação de golo com um remate à barra de Sibierski já com o guarda-redes português Hilário batido.
Insatisfeito com o resultado, José Mourinho fez entrar Drogba e Makelelé – tirou Ricardo Carvalho e fez recuar Essien –, na segunda parte, e os resultados não se fizeram esperar. A equipa tornou-se mais acutilante e logo na primeira vez que tocou na bola, Drogba cabeceou com perigo rente ao poste de Given.
Apesar do empenho e do domínio, o golo teimava em não surgir e, aos 66 minutos, Mourinho coloca em campo o ucraniano Andriy Shevchenko. Com um trio atacante de luxo, constituído por Kalou, Shevchenko e Drogba, tornou-se quase impossível ao Newcastle segurar o nulo. Num remate falhado do ucraniano, a bola sobra para Drogba que se antecipa à defesa adversária e desvia a bola para dentro da baliza. Estava feito o 1-0 e Mourinho esboçava um sorriso. O objectivo de terminar a jornada com cinco pontos de atraso para o líder Manchester United tinha sido cumprido.
O Arsenal, de Arsène Wenger, também sofreu para vencer o Wigan. Só no derradeiro minuto da partida conseguiu chegar ao golo solitário, através de Adebayor. Um resultado que permitiu aos ‘gunners’ chegar ao terceiro lugar da tabela classificativa com 29 pontos, menos 10 que o Chelsea e menos 15 que o Manchester United.
SEGUNDO LUGAR NÃO PREOCUPA
José Mourinho não está preocupado com o facto de ocupar o segundo na Liga inglesa. Em entrevista à revista ‘Única’ do jornal ‘Expresso’, que vai para as bancas no próximo sábado, o técnico do Chelsea reconhece tratar-se “de uma experiência nova”. “Nas outras duas épocas, começámos à frente muito cedo. Eu sempre disse – e não mudo o discurso agora que sou o perseguidor – que é melhor ir à frente. Quem vai à frente só tem de pensar nele próprio. Quem vem atrás tem de ter alguma preocupação para que aquele que vá à frente tenha os seus percalços”, salientou o treinador dos ‘blues’.
Na mesma entrevista concedida ao ‘Expresso’, Mourinho reconhece ainda que tem algumas dificuldades em pedir desculpas: “Também não me lembro de alguém me ter pedido desculpa. Às vezes nem há necessidade da palavra (...) Mais vale um gesto do que uma palavra. Quando as pessoas gostam uma da outra, como é o caso, as coisas acabam sempre por se resolver”.
O técnico campeão britânico reconhece ainda que as exibições de Hilário no Chelsea o têm deixado “muito contente” e que o mais provável é que os ingleses o venham a “renovar por mais tempo ainda”. Mourinho salienta ainda que está agradado com o plantel que tem e não se prevêem contratações na reabertura de mercado: “Tenho um plantel muito bom com pequeninas lacunas”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)