Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Duque tinha plenos poderes para contratações

A Polícia Judiciária ficou anteontem a saber que Luís Duque, em 2000, como presidente da Sporting SAD, tinha plenos poderes para contratar jogadores, desde que cumprisse o orçamento para o futebol profissional do clube.
19 de Janeiro de 2007 às 00:00
Durante as inquirições de Ferreira de Lima, Horta e Costa e Correa Sampaio, todos ex-administradores da SAD quando João Pinto foi contratado pelo clube de Alvalade, a PJ apurou que a fase negocial da aquisição do ex-jogador do Benfica foi toda conduzida por Luís Duque e Carlos Freitas, que contaram com a colaboração de Rui Meireles nas questões relacionadas com a parte administrativa. Meireles, na altura, era o responsável financeiro da SAD (Freitas era assessor) e também já foi ouvido pela PJ, no âmbito do processo que, por enquanto, tem apenas dois arguidos; João Pinto, indiciado pelo crime de falsidade de testemunho, e José Veiga, pelos crimes de abuso de confiança e burla agravada.
A PJ ficou ainda a saber, na quarta-feira, a forma como, em 2000, estava organizada a Sporting SAD e que a maior parte dos administradores “não foram informados, com detalhe, das negociações que conduziram à aquisição de João Pinto”. “Não sabiam, por exemplo, quais eram os prazos de pagamento, nem o valor exacto das verbas envolvidas”, acrescentou a mesma fonte.
Luís Duque vai ser um dos próximos ex-dirigentes do Sporting que vai ser inquirido pela PJ, o que deve ocorrer durante a próxima semana.
A Judiciária, como o CM já noticiou, pretende concluir o inquérito sobre a ida de João Pinto para o Sporting até meados de Abril, desde que durante esse período de tempo receba a documentação que solicitou a vários bancos estrangeiros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)